Menu Papel POP
Foto: Ricardo Stuckert

Presidente Lula diz que ter medo da cultura é temer a liberdade; ministério deve ser recriado

O presidente eleito Luís Inácio Lula da Silva, do PT, voltou a prometer em seu discurso de vitória, na Avenida Paulista, a recriação de um Ministério da Cultura. A fala ocorreu na noite deste domingo (30), na presença de amigos, apoiadores e milhares de eleitores que foram às ruas após a divulgação do resultado.

“Eu quero que vocês saibam que vamos recuperar o Ministério da Cultura e vamos criar comitês estaduais de cultura para que a cultura se transforme numa coisa a que todo mundo tenha acesso”, disse. “[A criação será] Para que a cultura se transforme numa indústria de produzir emprego e de gerar renda”.

Lula também reiterou o respeito à cultura comparando-a com a própria democracia.

“Quem tem medo de cultura é quem não gosta do povo e não gosta de liberdade, é quem não gosta de democracia, e nenhuma nação do mundo será uma verdadeira nação se não tiver liberdade cultural. O país vai recuperar a sua cultura”.

As declarações de Lula, que quebrou o próprio recorde e foi pela segunda vez o mais votado da história do Brasil ao somar mais de 60 milhões de votos, seguem na contramão de seu adversário, Jair Bolsonaro (PL).

Durante seu mandato (2019-2022), o líder de extrema-direita escoou recursos de leis importantes como a Rouanet, importante na captação de recursos para espetáculos e projetos. Além disso, houve tentativas de censura a editais públicos e o fomento a um forte discurso de ódio contra a classe artística, que em sua maioria decidiu apoiar Lula neste pleito. O ex-presidente também optou por dissolver o ministério restringindo suas ações a uma secretaria, onde a mais famosa comandante foi a atriz Regina Duarte.

Ainda não está claro, no entanto, quem deve assumir a nova-velha pasta sob a indicação de Lula. Uma reportagem da Globo News afirmou nesta segunda-feira (31) que Lula já pensa em nomes para vários ministérios, entre eles os da Fazendo, Agricultura e Educação. Os ex-candidatos Fernando Haddad, Simone Tebet e Marina Silva estariam sendo sondados.

A cerimônia de posse de Lula acontece em 1º de janeiro, em Brasília. Nos próximos dois meses, o mandatário deve trabalhar na transição dos governos.

Comentários

Topo