Menu Papel POP

Os maiores closes errados de 2017

O ano de 2017 teve muita coisa boa, muita gente fazendo coisa incrível e maravilhosa, seja na música, no cinema ou na televisão.

Mas também teve muita coisa que não foi legal, que não deu pra perdoar e que a gente não vai esquecer.

Então, nós fizemos uma lista com os maiores closes errados de 2017, pra que algumas não sejam esquecidas e assim, quem sabe, não voltem a acontecer em 2018 e nem nunca mais.

Casos de assédio em Hollywood

No mês de outubro começaram a surgir várias denuncias de mulheres relatando casos de assédio envolvendo homens famosos. As primeiras e principais acusações foram contra o produtor Harvey Wenstein. Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow, Lena Headey e Lupita Nyong’o foram apenas algumas das atrizes que alegaram ter sofrido algum tipo de assédio por parte de Harvey. Na semana seguinte após o surgimento das primeiras acusações, o produtor foi expulso da Academia do Oscar.

Após os relatos contra Weinstein, inúmeras mulheres que trabalham na indústria do entretenimento vieram a público relatando outros casos envolvendo outras personalidades. Lars Von Trier foi acusado de assédio por nove mulheres que trabalhavam em seu estúdio. As acusações contra Von Trier vieram após Björk ter postado um texto em sua página no Facebook relembrando quando foi assediada por um “diretor dinamarquês”, que evidentemente era Lars, quando a cantora participou do filme “Dançando no Escuro” (2000).

O ator Kevin Spacey também sofreu acusações de assédio. O também ator Anthony Rapp declarou que foi assediado por Kevin quando tinha apenas 14 anos. Na época, Spacey tinha 26. Na sequência do escândalo, a Netflix suspendeu a produção da sexta e última temporada de “House of Cards”. Spacey emitiu um comunicado, em que afirmou que ele se lembrava do encontro descrito, e então pediu desculpas pelo seu comportamento, e publicamente se assumiu gay. Após isso, outros homens e até mesmo membros da equipe de “House of Cards” relataram casos de assédio envolvendo o ator.

Raul Gil sendo racista 

O apresentador do SBT recebeu em seu programa o grupo de K-Pop KARD e a atração ganhou destaque no exterior porque os gringos ficaram chocados com as declarações racistas do apresentador.

Tudo começou quando um grupo infantil foi ao palco para dançar e Raul Gil falou para uma das crianças “abrir os olhos, né”. Enquanto falava isso, ele tentou imitar um sotaque oriental. Durante sua apresentação, as crianças foram surpreendidas pela entrada do grupo sul-coreano. Raul Gil então foi entrevistar o quarteto, e já começou questionando a intérprete se ela sabia falar português ou apenas coreano. O apresentador seguiu zoando o jeito dos artistas falarem e chegou a dizer que a plateia precisava “esticar o olho” para sair com alguém da banda.

Silvio Santos tentando arrumar namorado para a Maisa

A polêmica entre Maisa Silva e Dudu Camargo aconteceu em junho, quando eles participaram do Programa Silvio Santos e o apresentador sugeriu que deveriam formar um casal. Maisa se mostrou bastante desconfortável com a brincadeira, e afirmou que Dudu não é seu tipo e que fala esquisito, seguindo um festival de foras no dono do SBT e no garoto. Maisa depois desabafou em sua página no Facebook, com um longo texto em que afirmava que as mulheres não são obrigadas a aceitar tudo.

Vereador e pastor evangélico do Paraná querendo prender Pabllo Vittar

Em outubro, o vereador e pastor evangélico Ezequiel Bueno (PRB-PR), de Ponta Grossa, não gostou nada do fato de Pabllo Vittar estar confirmada para se apresentar em sua cidade em dezembro, no Munchen Fest. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, Bueno tomou como base um boato de que Pabllo e o deputado Jean Wyllys fariam uma “turnê” pelas escolas do Brasil para ensinar crianças sobre diversidade sexual, e mostrou todo o seu preconceito ao discursar  na Câmara Municipal.

Outro vereador chamando a Anitta de “garota de programa” e “vagabunda de quinta”

O vereador carioca do PSC Otoni de Paula publicou em seu perfil do Facebook um texto atacando Anitta, dizendo que ela era uma má influência par as crianças e questionava se ela seria uma “cantora ou garota de programa”. O político ainda encerrava o texto a chamando de “vagabunda de quinta”

Anitta, obviamente, não deixou quieto, e  comentou a publicação preconceituosa do vereador.

“Se o senhor me contratou para um programa e tomou um bolo ou encontrou algum anúncio de programa meu em algum lugar e nao conseguiu me contratar sinto em informar que a culpa não foi minha. É porque realmente não trabalho nesta função. Sou cantora, empresária, compositora, coreógrafa e outros negócios (que não são da indústria pornográfica) mas que são tantos que teria que ficar algumas horas aqui escrevendo. Dou emprego pra aproximadamente 50 famílias DIRETAMENTE. Sei como é importante e estratégico usar um nome de notoriedade na mídia para ganhar e espaço e assim começar a divulgar seu trabalho próximo ao ano eleitoral. Também não seria burra de processar por calúnia um vereador, rs, qualquer ser humano que entenda de justiça brasileira sabe que eu não sairia vitoriosa desta questão nem com macumba (aproveitando o trocadilho já que o senhor é evangélico rs). Mas aproveito a notoriedade que seu post tomou pra responder sua pergunta. ‘A que nossas crianças estão sendo submetidas?’ A uma triste falta de oportunidade e educação pra quem não tem dinheiro. Uma aprovação automática que desestimula professores a alunos a formarem pessoas educadas neste país. Nossas crianças estão submetidas a terem que ralar e se esforçar 24h por dia pra TENTAR ter algum tipo de instrução e oportunidade na vida que não seja o crime ou trabalhos informais como a prostituição por exemplo. Isso bem a realidade da pessoa que eu fui anos atras quando mal tinha dinheiro pra pagar um ônibus pra sair do meu bairro. Uma pessoa que sempre morou no Rio de Janeiro e achava que a zona Sul era inalcançável, por exemplo. O que tento fazer com a porta que se abriu pra mim (que foi a do entretenimento) é mostrar aos demais que nasceram na mesma situação que eu que existe uma saída. Ok, você terá que batalhar 50 vezes mais que uma pessoa que tem recursos e oportunidades e ainda assim vai esbarrar com posts preconceituosos e desinformados como o seu? Sim. Mas com força, foco e determinação é possível chegar la. Uma criança não faz a menor ideia do que uma garota de programa está fazendo na calçada da praia de roupa curta. Para a criança é só mais um passante da rua. A maldade está nos adultos. Que ao invés de focarem no real problema e na raiz da questão estão ocupados atacando situações que incomodam o próprio interior.”

Perez Hilton tentando lucrar com a Cuca

Em 2017, de repente, os gringos decidiram que a Cuca era o novo meme queridinho deles. Aí o blogueiro Perez Hilton resolveu dar uma de espertinho e ganhar uma grana usando a imagem da nossa bruxa em forma de jacaré, do saudoso “Sítio do Pica Pau Amarelo”. O cara criou um loja virtual que vendia camisetas, moletons e até uma capinha de celular com o rosto da Cuca e a frase “Lemme see that cucussy”.

Obviamente, os brasileiros não deixaram barato. Na época, alguns chegaram até a postar tuítes marcando a Rede Globo, pedindo para a emissora processar o americano.

…e tentando boicotar a Pabllo Vittar

Perez Hilton arrumou treta no Twitter ao ignorar  propositalmente a presença de Pabllo Vittar no clipe de “Sua Cara”. A personalidade(?) americana publicou no Twitter o clipe lançado ontem pelo Major Lazer com as brasileiras, mas marcou apenas Anitta e Diplo.  Depois disso, muitos brasileiros se manifestarem. Um deles logo disse que Perez Hilton não chegou nem a ler a descrição do clipe, ao que ele respondeu: “Eu li e ignorei.”

É isso mesmo, Perez Hilton boicotou Pabllo de propósito. “Porque eu não falo de Pabllo Vittar no meu blog. E eu não ligo. Eu também não marquei o Major Lazer. Continuo não ligando”, explicou. O próprio Diplo entrou na história e falou que Perez Hilton provavelmente esqueceu da Pabllo “assim como a maioria de nós esqueceu que Perez Hilton existia há 10 anos.”

Comentários

Topo