Voltar para o topo

Agora você pode adicionar o PapelPop a sua tela inicial Adicione aqui

“Renascer” traz triângulo amoroso familiar e representatividade em dose tripla para remake muito aguardado

deu no feed
(Foto: Fábio Rocha/Divulgação/TV Globo)
(Foto: Fábio Rocha/Divulgação/TV Globo)

Se tem uma coisa que brasileiro ama é acompanhar um bom novelão! A partir desta segunda-feira (22), estamos muito bem servidos com estreia da nova novela das 21h da TV Globo, “Renascer“.

Contando a saga de José Inocêncio (Humberto Carrão/Marcos Palmeira) e sua difícil relação com o filho caçula, João Pedro (Juan Paiva), a trama faz parte da leva de remakes de grandes clássicos da teledramaturgia brasileira que têm cativado o público e buscado reviver a crise de audiência que as novelas da emissora carioca têm enfrentado, com baixos números em “Elas por Elas” (faixa das 18h) e “Fuzuê” (das 19h).

A releitura escrita por Bruno Luperi, baseada na obra de seu avô, Benedito Ruy Barbosa, e com direção artística de Gustavo Fernandez, tem o desafio de mesclar mistérios, dramas, amores, vingança e lendas urbanas com um toque atual e moderno para a trama.

“A história da novela me precede. Trago para as pautas de hoje e alimento com as histórias que a sociedade está querendo discutir. Tem esse trabalho do dramaturgo de entender quais são as pautas que as pessoas querem ouvir falar. Costumo dizer que o tempo escreve com a gente”, disse Bruno Luperi, durante evento de lançamento da novela, no Rio de Janeiro.

A partir daqui, elencamos os meandros da trama para você se familiarizar com a novelinha. Vem!

Um facão e um sonho

(Foto: Fábio Rocha/Divulgação/TV Globo)

(Foto: Fábio Rocha/Divulgação/TV Globo)

De origem desconhecida, sem posses e sozinho no mundo, Zé chega ao sul da Bahia aos 25 anos com muita coragem, um facão e um mini diabo dentro de uma garrafa, responsável por fechar seu corpo e proteger das tocaias. Depois de ficar entre a vida e a morte, acaba assumindo as terras de uma viúva do cacau e ali começa uma revolução na maneira de se plantar aquele fruto.

Algum tempo depois, conhece seu grande amor, Maria Santa (Duda Santos), com quem tem quatro filhos: José Augusto (Renan Monteiro), José Bento (Marcello Melo Jr), José Venâncio (Rodrigo Simas) e João Pedro (Juan Paiva). Porém, é durante o parto do caçula que Maria Santa morre. Sem saber como lidar com o luto, José passa a vida tendo um profundo rancor de seu próprio filho.

Para Humberto Carrão, que vive o controverso personagem na primeira parte da novela, é uma honra ter a chance de sua arte se encontrar com a vida de Inocêncio.

“O fato dele estar na memória e no coração de muita gente me deixa ainda mais entusiasmado. A gente não trabalhou com a ideia de superar nada e sim de homenagear nossos colegas que fizeram esse trabalho tão lindo lá atrás”, apontou o ator.

Maria Santa

Maria Santa, Santinha (Duda Santos) e José Inocêncio (Humberto Carrão). (Foto: Fábio Rocha/Divulgação/TV Globo)

Maria Santa, Santinha (Duda Santos) e José Inocêncio (Humberto Carrão). (Foto: Fábio Rocha/Divulgação/TV Globo)

Filha de Venâncio (Fabio Lago) e Quitéria (Belize Pombal) e irmã mais nova de Marianinha, Santinha, como também é conhecida, vive sob as rédeas de um pai conservador e moralista.

A jovem, que quase não sai de casa, apenas ajuda a mãe nos trabalhos domésticos. Mas, no dia que recebe autorização para acompanhar o Bumba meu boi, se apaixona por José Inocêncio (Humberto Carrão), que se torna seu primeiro e único amor. E, é claro, que o pai é totalmente contra esse romance.

Acreditando estar grávida e vivendo em pecado, a jovem acaba sendo largada pelos pais na casa de Jacutinga (Juliana Paes), a cafetina da cidade. Lá é acolhida pela dona do bordel, que se torna sua segunda mãe e, mais tarde, parteira de seus quatro filhos.

Duda Santos, que fez sua estreia em “Travessia”, celebrou a possibilidade de dar vida a uma personagem de tanto destaque na trama. “É uma jovem com uma história muito linda. Uma representatividade gigante. O audiovisual é muito potente e pode ser responsável por essa representatividade. Espero que tenham muitas oportunidades para gente, no audiovisual. Espero que os pretos e pretas e também os indígenas vejam e se reconheçam”, comemorou a atriz.

Triângulo amoroso em família

Mariana (Theresa Fonseca) e João Pedro (Juan Paiva). (Foto: Fábio Rocha/Divulgação/TV Globo)

Mariana (Theresa Fonseca) e João Pedro (Juan Paiva). (Foto: Fábio Rocha/Divulgação/TV Globo)

Se durante a vida de João Pedro a relação com o pai foi conturbada, é na fase adulta que as coisas ficam ainda piores. Dos quatro filhos de Zé Inocêncio, João Pedro (Juan Paiva), é o único que nunca saiu da fazenda e não tem formação profissional.

Enquanto Zé Augusto é médico, Zé Bento, advogado, e Zé Venâncio, publicitário, João se dedicou à produção do cacau e possui o mesmo talento que o pai nos cuidados com o fruto.

Quando João Pedro conhece Mariana (Theresa Fonseca), a jovem misteriosa recém-chegada a casa de Jacutinga (Juliana Paes), é paixão à primeira vista. O que ele não esperava é que seu pai também fosse se apaixonar pela moça. E a partir daí…

Theresa Fonseca viverá papel que foi de Adriana Esteves e quase fez a Carminha não existir, pois, com tamanha repercussão com o moralismo da época, Adriana entrou em uma depressão profunda e pensou em largar a carreira artística.

A abertura de Renascer sempre foi apontada como um dos fatores icônicos da novela. Tanto a trilha, quanto o clipe ficaram marcados na história do audiovisual. Em 1993, o tema de abertura da trama foi “Confins”, de Ivan Lins e Vitor Martins e interpretada por Batacotô.

Em 2024, a novela traz uma nova música tema: a canção “Lua Soberana”, também de Ivan Lins e Vitor Martins, tocada por Sergio Mendes. Na versão atual, quem dá voz é Xênia França e Luedji Luna.

Representatividade em dose tripla

Buba (Gabriela Medeiros). (Foto: Fábio Rocha/Divulgação/TV Globo)

Buba (Gabriela Medeiros). (Foto: Fábio Rocha/Divulgação/TV Globo)

Assim como a atriz Duda Santos citou representatividade preta na novela, “Renascer” conta, também, com um elenco de pessoas indígenas para contar essa história tão brasileira, como o ator Adanilo, que interpreta Deocleciano na primeira fase da trama. Em sua estreia nas novelas, o ator, roteirista e diretor manauara divide cena com outros artistas indígenas.

A personagem Buba, vivida por Maria Luisa Mendonça, na versão de 1993, é mais um exemplo de como os tempos mudaram. Na trama original, a personagem era intersexo (à época, chamava-se “hermafrodita”), embora tenha sido interpretada por uma mulher cisgênero.

Na versão de 2024, no entanto, Buba será vivida por Gabriela Medeiros, que é uma atriz transgênero, conhecida por trabalhos como a série “Vicky e a Musa”, da Globoplay.

Comeback do João Grilo

Depois de uma década longe das novelas, Matheus Nachtergaele finalmente está de volta a grade de teledramaturgia da TV Globo, dando vida ao Norberto de “Renascer”. Afastado das novelas desde “Cordel Encantado” (2011), o ator fará o personagem nas duas fases da história.

“Essa é a novela mais bonita que o Benedito Ruy Barbosa escreveu. Faz dez anos que eu só faço séries e parte do público estava me cobrando. Eu vou estar com vocês! Estou tentando fazer um trabalho bonito, estou muito feliz”, comentou Mateus.

Confira o elenco de Renascer:

“Renascer” é uma novela escrita por Bruno Luperi baseada na obra de Benedito Ruy Barbosa. A direção artística é de Gustavo Fernández, direção geral de Pedro Peregrino e direção de Alexandre Macedo, Walter Carvalho, Ricardo França e Mariana Betti. A produção é de Betina Paulon e Bruna Ferreira e a direção de gênero de José Luiz Villamarim.

voltando pra home