Menu Papel POP
Foto: Divulgação

Ellie Goulding revela produtores de novo álbum, e comenta polêmica com Beyoncé: “As pessoas amam drama”

Um dos maiores destaques na música pop da última década, Ellie Goulding já se consagrou com hits como “Lights”, “Love Me Like You Do”, “Outside”, “I Need Your Love” e muitos outros. No entanto, é sobre “Easy Lover”, seu mais recente lançamento com Big Sean, que a britânica conversou com o Papelpop.

Durante uma bate-papo de 15 minutos, a artista abriu a lista de compositores e produtores com quem está trabalhando para seu novo álbum — que ainda vem ganhando um formato na fase de produção.

Ellie apostará em diferentes estilos visuais, em seu projeto inédito. “Fiquei muito tempo sendo apenas eu, com um cabelo muito longo e vestindo as mesmas coisas. É muito legal sentir que posso me tornar diferentes pessoas”, detalhou, referindo-se às múltiplas estéticas que trabalhará.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Ela relembrou, ainda, de uma polêmica recente envolvendo Beyoncé. Em junho deste ano, a loira usou uma estratégia parecida com a do anúncio de “Renaissance – Act. I” para divulgar seu retorno à música, dando um blackout em suas redes sociais.

O método adotado, anteriormente usado por nomes como Taylor Swift e Shawn Mendes, a fez receber algumas críticas sobre ‘o lugar que ocupa na indústria’.

“As pessoas amam drama — e eu me incluo nisso. É algo que faz passar o tempo e eu entendo a necessidade disso, mas eu lido de uma maneira boa porque não acho que eu fiz algo ruim e não acho que vale a pena lidar de outra maneira.”

Goulding entregou, também, que está muito ansiosa para voltar ao Brasil e cantar para seus fãs, uma vez que percebeu uma evolução em sua identidade artística desde o disco “Brightest Blue” — lançado em 2020, durante o auge da pandemia.

“Eu sempre vou mudar e a maternidade é uma grande influência para isso.”

A alegria da cantora se dá, inclusive, pelo fato de que “Lights”, hit que a elevou ao estrelato em 2010, voltou a fazer sucesso no TikTok, 12 anos depois de seu lançamento. “Eu achei que a história daquela música já tinha sido finalizada”, confessou.

Leia íntegra da entrevista abaixo:

Papelpop – “Easy Lover” destaca que, de uma maneira ou de outra, todos podem voltar para um relacionamento que não foi tão legal. Você é do tipo que luta para não repetir os mesmos erros ou abraça a filosofia de que a vida é uma só?

Ellie Goulding – Acho que, no passado, me senti muito culpada por, você sabe, estar com pessoas tóxicas que eu sabia que não eram boas para mim, mas continuava porque valiam a pena durante aquela tarde de felicidade e animação. Mas, no outro dia, definitivamente me sentia terrível. Já me senti muito culpada por isso. Acho que “Easy Lover” é sobre isso, de verdade. É sobre ser incapaz de fugir dessa pessoa porque ela te dá tanta excitação, mas você sabe que tudo vai terminar em prejuízo. É um conto muito clássico.

Papelpop – Você escreveu esta faixa com Julia Michaels, conhecida por grandes hits de Selena Gomez, Justin Bieber e outros. Como foi o processo de composição? Há alguma situação engraçada que você se lembra?

Ellie Goulding – É tão legal quando você conhece um compositor, especialmente como a Julia, que vocês combinam e acham as mesmas coisas fascinantes. Nós duas somos um par de românticas que já enfrentaram alguns caras ruins anteriormente, foi tão legal nos unir em volta disso.

Ela é uma cantora e compositora tão talentosa e eu sempre quis trabalhar com ela, desde que vi as coisas que ela fez com Justin Bieber. Ela é um gênio do pop. Foi divertido. Já faz algum tempo [que nos encontramos] e eu não a vejo há séculos, mas nós tivemos um ótimo momento no estúdio em sua linda casa em Los Angeles, com diferentes instrumentos e apenas bagunçando por lá.

Papelpop – Com o videoclipe, podemos concordar que uma nova era está chegando com uma estética bastante marcante, com cores vibrantes e diferentes tipos de cabelo. Como você pretende desenvolvê-la ao longo do tempo?

Ellie Goulding – Acho que encarar diferentes personagens é muito libertador e fiquei muito tempo sendo apenas eu, com um cabelo muito longo e vestindo as mesmas coisas. É muito legal sentir que posso me tornar diferentes pessoas e posso me esconder por trás disso de uma maneira agradável.

Gosto de atuar e o vídeo foi muito legal de ser filmado, com pessoas legais. Acho que todo o vídeo é repleto de pessoas lindas com personalidades totalmente diferentes e gosto da ideia de isso ser como um videogame, como uma matrix. Não queria que o vídeo fosse aquele estereótipo de um casal que tem uma briga no quarto, ou algo assim. Eu queria que fosse diferente.

Papelpop – O hit “Lights” foi descoberto pela geração TikTok e você, inclusive, lançou a versão acelerada da faixa nas plataformas digitais. Você se lembra de como foi sua reação quando percebeu que a canção estava bombando novamente?

Ellie Goulding – Ai, meu Deus! Isso foi uma surpresa enorme! Achei que a história daquela música já tinha sido finalizada. Ela já retornou de outras maneiras, com remixes, mas é louco! Você nunca sabe com que música isso vai acontecer. Disse mais cedo, em outra entrevista, que isso não deveria atingir a maneira pela qual você escreve ou qualquer coisa. A variedade de músicas que viralizam no TikTok é tão grande que não há maneira de saber. É muito interessante assistir o formato em que a música é consumida agora e como é interpretada pelas pessoas.

É fascinante. Eu sou muito aberta a continuar respeitando as mudanças do tempo e continuar mudando com ele. Então, sim, eu tenho muita sorte porque muitas das minhas músicas viralizaram no TikTok. Fiz algo certo!

Papelpop – Taylor Swift, Beyoncé, Shawn Mendes e muitos outros artistas, escolheram a estratégia de fazer um apagão nas suas redes sociais antes de grandes anúncios. Você recentemente fez o mesmo e foi criticada de maneira injusta, com pessoas dizendo para você entender seu lugar na indústria. Como você lida com estas críticas?

Ellie Goulding – Até que bem, para ser sincera (risos). Eu respondo às críticas, se eu sinto que são injustas. Acho que isso é uma reação natural. Se a crítica é justa e se eu ofendi alguém, novamente, eu não tenho medo de responder a isso e admitir que estou errada, e pedir desculpas. Essa é uma boa atitude a se ter. Mas, sim, foi algo bobo. Dei um apagão no meu Instagram para dar um ‘refresh’ e, não, na intenção de tentar ser alguém. Estava apenas mudando as minhas redes sociais.

Mas, sabe, as pessoas amam drama — e eu me incluo nisso. É algo que faz passar o tempo e eu entendo a necessidade disso, mas eu lido de uma maneira boa porque não acho que eu fiz algo ruim e não acho que vale a pena lidar de outra maneira.

Papelpop – Dois anos se passaram desde o lançamento de “Brightest Blue”, seu último álbum. Você tem percebido uma transformação em sua identidade artística desde então?

Ellie Goulding – Meu Deus, sim! O tempo todo! Acho que minha necessidade de fazer música pop sempre estará lá. Acho que a ideia de que você pode continuar tentando escrever a música perfeita, que fará as pessoas se sentirem melhor, e fará as pessoas dançarem, isso sempre vai me atrair. E essa questão de mudar como pessoa… nós sempre estamos em mudança, isso sempre vai acontecer.

A música pop está sempre mudando, assim como a moda. Você pode observar isso e deixar isso te inspirar e te transformar. Sempre vou mudar e a maternidade é uma grande influência para isso, o lockdown também influenciou muitas pessoas de maneiras diferentes. Algumas pessoas acharam terapêutico, outras acharam horrível.

Papelpop – Nos conte sobre seu próximo álbum! Quando ele chega e quais são os produtores que você está trabalhando?

Ellie Goulding – Trabalhei muito com um produtor chamado Andrew Wells, com LostBoy. A maioria são produtores que conseguem trabalhar daqui [Londres], porque não estou conseguindo viajar. Geralmente, vou aos Estados Unidos, mas não consegui desta vez, então tem sido algo bem caseiro.

Trabalhei, também, com Max Martin e seu pessoal novamente, que eu amo e são meus amigos. Eu trabalhei com Tom Mann, que é um ótimo compositor pop; com Anthony Rossamando, que é um amigo meu. E acho que é isso, por agora.

Tenho uma ótima música com Andrew Watt, que fiz há alguns anos e eu amo, gostaria de mantê-la [no disco]. Mas, sabe, ainda estou trabalhando neste álbum, então quem sabe se terá mais produtores se envolvendo?

Papelpop – Sei que agora vou parecer com os fãs brasileiros em suas redes sociais, mas quando você volta ao Brasil?

Ellie Goulding – Assim que eu puder! Acho que estou focada em voltar com novas músicas, então teria que ser no próximo ano, mas eu vou garantir que aconteça. Eu não fui convidada ainda, mas o ano que vem vai ser o período em que poderei viajar para ver meus fãs presencialmente com meu novo álbum. Será um ano animador!

***

Comentários

Topo