Menu Papel POP

Quentin Tarantino admite culpa em acidente de carro com Uma Thurman em “Kill Bill”

Na última semana, Uma Thurman falou com o New York Times sobre um acidente de carro que sofreu durante as gravações de “Kill Bill”, após ser obrigada pelo diretor Quentin Tarantino a gravar uma cena dirigindo um veículo que não oferecia a segurança adequada. Nesta segunda-feira (5), o cineasta deu uma entrevista ao site Deadline e admitiu sua culpa no acidente.

Ao falar sobre o acidente, Tarantino disse que tentou garantir a segurança de Thurman ao primeiro dirigir o carro, para se certificar de que não havia curvas ou desníveis escondidos. Embora a estrada parecesse normal, a atriz foi filmada dirigindo na direção oposta e acabou sofrendo um acidente. “Eu sou culpado por colocá-la naquele carro, mas não da maneira que as pessoas estão dizendo que sou culpado. Foi doloroso. Além de um dos maiores arrependimentos da minha carreira, é um dos maiores arrependimentos da minha vida. Por uma infinidade de razões. O acidente afetou eu e Uma durante os próximos dois a três anos. Não era como se não conversássemos. Mas a confiança foi quebrada.”

Tarantino ainda contou que sabia da entrevista de Uma Thurman ao New York Times antes dela ser publicada, e que ajudou a atriz a conseguir mais informações sobre o acidente. “Uma e eu falamos sobre isso, por um longo período de tempo, decidindo como ela iria fazer. Ela queria ter mais clareza sobre o que aconteceu naquele acidente de carro, depois de todos esses anos. Ela perguntou se poderia pegar a filmagem. Eu tinha que achar isso, 15 anos depois. Tivemos que buscar em armazéns, revirando caixas. Não pensei que seríamos capazes de encontrá-la. O vídeo estava claro e mostrou o acidente e as conseqüências. Fiquei muito feliz em entregar a Uma.”

Sobre o dia do acidente, o cineasta disse o seguinte: “Eu ouvi do gerente de produção que Uma estava insegura sobre gravar dirigindo. Nenhum de nós considerou que fosse uma cena que precisasse de dublê. Talvez devêssemos, mas não o fizemos. Tenho certeza, quando a questão foi trazida para mim, que eu revirei os olhos e estava irritado. Mas eu tenho certeza de que eu não estava com raiva. Eu não fui ao trailer de Uma gritando para ela entrar no carro. Quem conhece Uma sabe que entrar em seu trailer, e gritar com ela para fazer algo não é a maneira de fazê-la fazer algo. Essa é uma tática ruim e eu já estava filmando o filme com ela durante um ano inteiro. Eu nunca reagiria com ela dessa maneira.”

Tarantino disse que testou o caminho, mas depois mudou o sentido do carro por causa da luz naquele momento. “Eu pensei que uma estrada reta é uma estrada reta, e não pensei que eu precisava percorrer a estrada novamente para ter certeza de que não havia nenhuma diferença indo na direção oposta.  Talvez na direção oposta houvesse uma espécie de ilusão de óptica. Como diretor, você aprende coisas e, às vezes, você as aprende com erros horrendos. Esse foi um dos meus erros mais horríveis, que eu não tirei um tempo para percorrer a estrada, mais uma vez, apenas para ver o que eu veria.”

Thurman deu ao New York Times o vídeo do acidente, que ela conseguiu após uma luta de 15 anos em que esconderam a filmagem. Ela bate o carro numa árvore e sofre sérios ferimentos na perna, no pescoço e na cabeça. O acidente pode ser visto neste link.

Nesta segunda-feira, a atriz publicou um trecho do vídeo em seu Instagram e escreveu o seguinte: “Quentin Tarantino ficou e continua profundamente arrependido sobre esse triste evento, e me deu a filmagem anos mais tarde, para que eu pudesse divulgar, independentemente disso, provavelmente é um evento para o qual a justiça nunca será possível. Ele também o fez com pleno conhecimento que isso poderia lhe causar danos pessoais, e eu estou orgulhosa dele por fazer a coisa certa e por sua coragem.”

i post this clip to memorialize it’s full exposure in the nyt by Maureen Dowd. the circumstances of this event were negligent to the point of criminality. i do not believe though with malicious intent. Quentin Tarantino, was deeply regretful and remains remorseful about this sorry event, and gave me the footage years later so i could expose it and let it see the light of day, regardless of it most likely being an event for which justice will never be possible. he also did so with full knowledge it could cause him personal harm, and i am proud of him for doing the right thing and for his courage. THE COVER UP after the fact is UNFORGIVABLE. for this i hold Lawrence Bender, E. Bennett Walsh, and the notorious Harvey Weinstein solely responsible. they lied, destroyed evidence, and continue to lie about the permanent harm they caused and then chose to suppress. the cover up did have malicious intent, and shame on these three for all eternity. CAA never sent anyone to Mexico. i hope they look after other clients more respectfully if they in fact want to do the job for which they take money with any decency.

A post shared by Uma Thurman (@ithurman) on

Comentários

Topo