Menu Papel POP
Foto: Divulgação

Björk diz que faz festas em casa ao som de Rosalía, Beyoncé, Rihanna e mais

Quem conhece a Björk sabe que ela ADORA comandar uma mesa de som (inclusive, rolam altos DJ sets nos Estados Unidos e na Europa, esporadicamente). Em entrevista à rádio BBC Radio 2, a cantora islandesa foi questionada sobre quais artistas tem se interessado ultimamente e, de forma eventual, incluído nas festinhas privadas que dá para os amigos.

A resposta não poderia ser melhor:

“Eu amo e escuto Rihanna, Beyoncé, Kelela, você sabe, tudo isso o tempo todo. Coisas como Shygirl, que estou obcecada, Rosalía, e SZA. Se você vier à minha casa, eu tenho uma playlist e tem basicamente as mesmas coisas que estão nos meus álbuns. Gosto de música étnica, canções folclóricas, e música clássica contemporânea, música de coral. Em uma noite de sexta-feira, [costumo ouvir] um pouco desse pop pegajoso e algum techno também”.

Nesta sexta-feira (30), a cantora islandesa lança o disco “Fossora”. Este é seu primeiro trabalho de estúdio em cinco anos, desde o LP “Utopia”. Pelas faixas já liberadas, foi possível conhecer um pouco mais desta narrativa que se centra na perspectiva feminina da artista sobre diferentes temas como o amor, a natureza e o luto.

[O novo projeto] Foi tecido a partir de como eu experimentei o “agora”, desta vez cercada de cerca de 7 bilhões de nós, fazendo isso juntos e nos aninhando em nossas casas em quarentena. Foi um longo período, o suficiente para criarmos raízes em um lugar”, prosseguiu. “Meu novo álbum “fossora” diz respeito a isso, ‘fossora’ é uma palavra que eu inventei. É o feminino de fossore (escavador, mergulhador). Então, em suma, significa “A que cava” (no chão).

“Fossora” também deve entrar de cabeça na turnê “Orchestral”, que vem ao Brasil em novembro. Björk é uma das principais atrações do festival Primavera Sound São Paulo, que aliás, já tem vários lotes de ingressos esgotados.

Você confere mais informações a respeito clicando aqui.

Comentários

Topo