Menu Papel POP
Foto: Diana Freixo/Divulgação

Owerá vive “A Transformação” em single que introduz segundo álbum

Um encontro entre as culturas Guarani Mbya e Huni Kuin é o que promove o cantor Owerá no single “A Transformação”, lançado neste derradeiro fim de semana de junho. O projeto, que introduz o segundo álbum da carreira, conta com apoio da Natura Musical e se debruça sobre o poder das medicinas da floresta.

Para contar essa história, gravada na Aldeia Krukutu, em Parelheiros, região Sul da cidade de São Paulo, Owerá (antes conhecido como Kunumi MC) contou com a ajuda de três pessoas fundamentais: Txana Ibã e seus companheiros Samakey e Yube, três compositores da etnia Huni Kuin, que fazem parte do coletivo Balanço da Floresta.

“Foi muito importante fazer essa música, esse clipe, essa aliança com o Owerá. Poder soltar a voz para a humanidade através da música, da cultura… Esse trabalho está sendo transformador pra mim também. Somos porta-vozes da floresta do nosso povo. Essa é a cura kayawey, a transformação”, conta Txana Ibã.

“Fico muito feliz por estar expandindo os nossos cânticos. E é uma alegria imensa, o Owerá, um jovem de outra etnia, ter feito esse convite pra mim. Eu e os meus amigos do coletivo Balanço da Floresta ficamos muito felizes”.

O resultado, que aterrissa como um lembrete amável em tempos de destruição de biomas e dos povos originários, é uma profusão de sons e palavras muito sensível. Você pode ouvir no player abaixo!

O artista

Aos 21 anos, Owerá ficou conhecido como o indígena brasileiro que abriu a faixa “Demarcação Já” durante a cerimônia de abertura da Copa do Mundo de Futebol de 2014, realizada aqui no Brasil. De lá para cá, o rapaz estrelou documentários e lançou faixas independentes e em parceria com grandes nomes.

Além de cantar com Marcelo D2 e Daniela Mercury, ele também dividiu os vocais com Caetano Veloso recentemente a convite de uma plataforma de streaming. O disco “Mbaraeté” (Resistência, em guarani”) chega ainda em 2022.

Comentários

Topo