Menu Papel POP
Foto: @alicia_shi/@f2max

“Anitta para presidente!”: cantora fala sobre inseguranças, trajetória e fama para a revista Interview

Ninguém acima! Anitta é um dos destaques da próxima edição da revista Interview, que começa a chegar às bancas neste 1º de julho. Com a chamada “Anitta para Presidente”, o recheio traz uma super matéria com a cantora brasileira, falando sobre sua evolução enquanto artista, brasilidades e inseguranças.

“É uma loucura porque como artista – talvez porque não queiramos nos sentir inseguras – minha personagem é muito poderosa, é essa garota que faz tudo”, disse, em entrevista ao colega J Balvin. “Mas na maioria das vezes estou muito preocupada com todos, cuidando de todos, pensando na minha família e garantindo que todos estejam bem. Eu sou muito reservada, então não deixo ninguém saber disso – é meio que um segredo. Mas na verdade sou o oposto dessa pessoa poderosa e invencível que vendo como artista”.

Anitta também relembrou desafios para se tornar uma pessoa respeitável desde cedo. Ao amigo, ela contou uma história já conhecida entre os fãs: quando participou de um concurso de “Garota da Primavera” para conquistar uma bolsa de estudos em um colégio particular, ainda adolescente.

“No Brasil, as escolas públicas não são boas, então eu estudava nessa escola paga. Meu pai queria dar uma boa educação para mim e pro meu irmão, mas não tinha dinheiro. A escola fez um concurso para escolher a “Garota da Primavera” e quem ganhasse levava uma bolsa para estudar o ano inteiro. Eu não era uma modelo, uma menina bonita, eu tinha esse cabelo grande e dedos enormes. Mas essa era minha chance de estudar mais um ano em uma boa escola, então me inscrevi. Eu me tornei a piada da escola porque as garotas mais bonitas se inscreveram para essa coisa e eu não era nada fofa. Quando cheguei em casa falei: “Mãe, eu me inscrevi nesse concurso de moda e vou ganhar porque preciso estudar mais um ano de graça”. E ela disse: “Como você vai ganhar? O que você vai vestir?” Eu disse: “O tema é reciclagem. Vamos apenas construir uma roupa que seja reciclada.” Então comecei a pegar copinhos de café e garrafas vazias de refrigerante nas ruas e construímos uma saia e um top malucos. Quando chegamos lá, todo mundo estava tão bem produzido – acho que eles contrataram pessoas para fazer suas roupas etc – e minha roupa era simplesmente feita por mim e pela minha mãe com as nossas próprias mãos. Aí minha mãe disse: “Não temos chance, vamos para casa”. E eu disse: “Não, eu preciso estudar no ano que vem de graça. Eu vou ganhar.” Quando chamaram meu nome, eu estava desfilando, falando sobre moda, respondendo perguntas com carisma. Demorou horas para sair o resultado, mas no final anunciaram que eu ganhei. Então olhei para minha mãe e disse: “Eu disse que ia ganhar!”.

Por último, mas não menos importante, Anitta falou sobre os desafios e os perigos da fama.

“Quando conquistamos a fama, podemos nos perder nesse jogo e esquecer quem somos. ‘Por que comecei essa coisa toda? Por que estou fazendo isto?’, você pode se perguntar. Para mim, nunca foi sobre ficar famosa e rica. Era mais sobre mudar a vida do meu povo, a vida do meu país. Então, se vou ao Met Gala, Coachella ou VMAs, não é porque quero me exibir. É porque quero que meu país acredite que eles podem ir a lugares onde nunca estiveram”.

Leia a entrevista completa, em inglês, clicando aqui.

Comentários

Topo