Menu Papel POP
Foto: Reprodução/Divulgação

Scooter Braun diz que se arrepende da forma como lidou com a compra do catálogo musical de Taylor Swift

Durante participação no podcast “The Limits with Jay Williams”, Scooter Braun afirmou que aprendeu uma “lição importante” com o drama envolvendo a compra do catálogo musical de Taylor Swift, em 2019. Para o empresário, ele partiu de um “lugar de arrogância” ao achar que a cantora estaria disposta a falar com ele sobre o acordo. [Via Page Six]. 

“O arrependimento que tenho é que presumi que todos – uma vez que o negócio fosse feito – iriam conversar comigo, ver minha intenção, ver meu caráter e dizer: ‘Ótimo, vamos fazer negócios juntos'”, apontou Braun. “E eu fiz essa suposição com pessoas que eu não conhecia”. 

Segundo ele, ele “nunca mais” pode fazer essa suposição, partindo de um “lugar de arrogância” ao imaginar “que alguém estaria disposto a conversar e ficar animado para trabalhar comigo”. “Eu não conheço essas pessoas”, reforçou. 

A compra do catálogo de Swift em 2019, que, na época, incluía seus seis primeiros álbuns de estúdio, aconteceu após a empresa do empresário, Ithaca Holdings, adquiria a Big Machine Records, a gravadora que descobriu a artista em 2005. Hoje, ela integra o Universal Music Group.

Após a polêmica estourar, Taylor criticou a aquisição e negou ter tido qualquer oportunidade de comprar sua música de volta, como Scott Borchetta, chefe da Big Machine, havia afirmado. Segundo Braun, ele disse a Borchetta que deveria ser avisado caso algum artista quisesse seu catálogo de volta.

“E ele compartilhou uma carta comigo que está por aí publicamente que, você sabe, o artista ao qual você está se referindo disse: ‘Eu não quero participar dos meus masters. Eu decidi, você sabe, não fazer esse acordo, blá, blá, blá’. Então essa era a ideia que eu tinha”, lembrou. 

O empresário afirmou que “não gostou” de como o acordo com Swift acabou, mas entendeu que ela “provavelmente sentiu que era injusto também”.

“Então, escolho olhar para isso como uma lição de aprendizado, uma lição crescente, e desejo a todos os envolvidos o melhor”, disse ele. “E estou torcendo para que todos ganhem porque não acredito em torcer para que as pessoas percam.”

Comentários

Topo