Menu Papel POP
Divulgação / Warner Bros.

“Elvis”: diretor confirma existência de uma versão de 4 horas da cinebiografia

Em entrevista à Radio Times, Baz Luhrmann, diretor de “Elvis”, confirmou a existência de uma versão de 240 minutos – 4 horas! – do longa. As cenas cortadas da cinebiografia, que chegou aos cinemas com 159 minutos, incluem o emblemático encontro entre Presley, vivido por Austin Butler, e Richard Nixon, então presidente dos Estados Unidos. As informações são da Variety

“Eu tenho uma versão de quatro horas, na verdade. Eu tenho. Mas você tem que reduzir para 2 horas e 30… Eu gostaria de me aprofundar mais em algumas das outras coisas – há muito mais”, afirmou Luhrmann. “Quero dizer, há muitas coisas que eu gravei, como o relacionamento com a banda, que eu tive que reduzir – e é tão interessante como o Colonel [Tom Parker, interpretado por Tom Hanks] se livra deles”, refletiu. 

O corte de quatro horas também possui um aprofundamento maior no relacionamento de Elvis com Dixie, sua “primeira namorada”, aponta o cineasta. Há também cenas que abordam o vício que o cantor tinha em barbitúricos e outras substâncias. 

“O que acontece é que ele começa a fazer coisas malucas – como descer para ver Nixon. Eu tive isso [no filme] por um tempo, mas chega um ponto em que você não pode ter tudo, então eu apenas tentei rastrear o espírito do personagem”, concluiu Luhrmann. 

“Elvis” explora a vida e música de Elvis Presley, o “Rei do Rock and Roll”, através da ótica de seu relacionamento complicado com Colonel Tom Parker, seu empresário. A cinebiografia faz um recorte de 20 anos, desde a ascensão do cantor à fama até seu estrelato sem precedentes. 

A produção teve sua estreia mundial no Festival de Cannes, no último dia 25 de maio, e chega aos cinemas brasileiros no próximo dia 14 de julho.

Comentários

Topo