Menu Papel POP
Foto: Divulgação

Selena Gomez, Nathy Peluso, Camilo: quem são os artistas que concorrem nas categorias latinas do Grammy

Acontece neste domingo (3) mais uma edição do Grammy Awards, a 64ª pra ser mais preciso. Embora o foco esteja sempre em categorias como Álbum e Gravação do Ano, bem como nas performances da noite, muitos latinos estão no páreo. Afinal, conquistar um gramofone pode significar a abertura de um número incontável de portas.

Não, não temos brasileiros concorrendo desta vez, mas a disputa em 2022 promete e se concentra, principalmente, em quatro categorias. Abaixo, você confere os indicados a cada uma delas e breves comentários a respeito dos possíveis embates.

Melhor Álbum de Pop Latino

Vértigo – Pablo Alborán

Mis Amores – Paula Arenas

Hecho A La Antigua – Ricardo Arjona

Mis Manos – Camilo

Mendó – Alex Cuba

Revelación- Selena Gomez

Aqui, concorrem entre si nomes favoritos do público como Camilo, que apresenta “Mis Manos”, disco marcado por uma profusão moderna de ritmos colombianos e responsável por levá-lo a vencer o troféu de Melhor Canção Pop com “Vida de Rico. Do outro lado está a cantora Selena Gomez que aposta no EP “Revelación”. Foi sua primeira incursão no idioma e os elogios foram múltiplos.

Selena Gomez Brasil (RESERVA) on Twitter: "Nova foto #REVELACION via @pandoramusic. 🌹 https://t.co/s1N7IKemEI" / Twitter

Por parte da crítica há favoritismo por Paula Arenas, outra indicada ao Latin Grammy na imponente categoria de Álbum do Ano.

Melhor Álbum de Música Urbana

Afrodisíaco — Rauw Alejandro

El Último Tour Del Mundo — Bad Bunny

Jose — J Balvin

KG0516 — Karol G

Mendó — Alex Cuba

Sin Miedo (Del Amor y Otros Demonios) — Kali Uchis

Talvez a categoria mais complicada entre as voltadas para gêneros latinos. Existem duelos bastante acirrados, ajulgar os nomes que concorrem. Todos eles são extremamente expressivos em termos de streaming, com especial destaque para Bad Bunny, Rauw Alejandro, J Balvin e Karol G. Colômbia e Porto Rico mostram que, quando o assunto é indústria fonográfica e recordes, sempre tem algo a oferecer, incluindo níveis altíssimos de produção.

No Twitter, entretanto, a torcida é forte para Kali Uchis. Ao contrário dos colegas, a divulgação do LP “Sin Miedo” foi um tanto mais orgânica – o que não interferiu na quantidade de barreiras rompidas por alguém que, até outro dia, era considerada uma artista indie, marginal.

Melhor Álbum Regional Mexicano ou Tejano

Aida Cuevas – Antologiá de la Musica Ranchera Vol. 2

Vicente Fernández – A Mis 80’s

Mon Laferte – SEIS

Natalia Lafourcade – Un Canto por México, Vol. 2

Christian Nodal – Ayayay! (Super Deluxe)

A mexicana Natalia Lafourcade dispara como favorita na disputa por mais um gramofone. Hoje, ela é a mulher com o maior número de troféus, à frente até mesmo da colombiana Shakira. Mas não é hora de dar a vitória como certa, há discos expressivos e tão elogiosos quanto seu “Un Canto Por México, vol. II”.

Mon Laferte Interview: New Album 'Seis' – Billboard

Salve-se o trabalho da amiga Mon Laferte, “SEIS”, um dos mais bem produzidos e dramáticos da temporada, e “A Mis 80’s”, do veterano Vicente Fernández. Há que se pesar o(a) vencedor(a) nos mínimos detalhes…

Melhor Álbum de Rock ou Alternativo

Deja – Bomba Estéreo

Mira Lo Que Me Hiciste Hacer (Deluxe Edition) – Diamante Eléctrico

Origen – Juanes

Calambre – Nathy Peluso

El Madrileño – C. Tangana

Sonidos De Karmática – Resonancia, Zoé

Difícil dizer… mas à exceção de “El Madrileño”, poderoso projeto lançado por C. Tangana no início de 2021, os latinos saem na frente. A Colômbia, principalmente, com 3 concorrentes: os grupos Bomba Estéreo e Diamante Eléctrico e o solista Juanes, já veterano. Vai ser interessante acompanhar e se surpreender.

***

Para quem vai a sua torcida? O Grammy Awards tem transmissão simultânea no Brasil a partir das 22h, exclusivamente na TNT. Os comentários são de Dane Taranha e Phelipe Cruz.

Comentários

Topo