Menu Papel POP
Foto: Reprodução

Em “Vejo o Bem”, Karol Conká encontra liberdade na companhia dos amigos; assista ao clipe

Liberdade é a palavra que sintetiza o novo clipe da mamacita Karol Conká. “Vejo o Bem”, lançado nesta sexta-feira (1º), introduz o disco “Urucum” com uma narrativa de cura e autoanálise.

Neste capítulo, a artista se permite enxergar o que há além do julgamento e do escrutínio. “Pode avisar/que a história sempre muda/Deixa falar/isso já não me assusta/Olho o espelho vejo o reflexo da luta/Virá/mais uma etapa fulgaz/A vida retrata bem mais/O que tudo isso me traz?“, diz uma das estrofes.

“Urucum”, o disco, chegou na noite deste último 31 de março com 11 canções. Em entrevista ao Papelpop, Conká falou sobre o novo momento da carreira e o equilíbrio conquistado em relação às múltiplas personas que a compõem.

— Naquele momento [pós eliminação do BBB] o que eu tinha? A minha minha música, a minha verdade — lembra a rapper. — Precisava entender porque eu me coloquei naquela situação e o que precisava para sair dela. Mergulhei na verdade. Era muita dor, muita angústia, porque eu cheguei a acreditar no que a mídia e as redes sociais diziam de mim. Mas essas canções, assim como a terapia, me trouxeram pro real, pro que eu sou. O álbum reflete esse recolhimento, esse processo de cura. Consegui fazer as pazes com a vulnerabilidade. Porque cresci pensando: “Sou mulher preta, não posso ser vulnerável”.

Comentários

Topo