Menu Papel POP
Foto: Divulgação

Você já conhece o Shakipedia? Podcast inédito e bilíngue discute discografia da cantora

Desde meados de 2020, podcasts de cultura pop têm dado uma guinada à esquerda, ocupando espaço nas plataformas de música com outras funções. Menos factuais, eles agora se dedicam a resgatar obras, discutir legados e propor leituras inéditas de discos e artistas considerados canônicos.

O domingo tá chato por aí? Aqui vai uma excelente dica. Estreou em janeiro o programa Shakipedia, disponível para espectadores que falam inglês e espanhol. Comandado por uma dupla de fãs da cantora colombiana Shakira, o programa se dedica a recorrer sua discografia canção por canção em ordem alfabética – vem daí a referência do título, que combina o nome da cantora à palavra “enciclopedia”.

“Eu sou fã de Shakira há mais de 20 anos, comecei antes de ela fazer o crossover para o inglês”, conta Ingebritson, que é host do podcast e Bacharel em Estudos Latino-Americanos e de Língua Espanhola. “Aprendi muito espanhol com a música dela e depois morei na Espanha, México e Colômbia. Tenho a sorte de ter conhecido Shakira e de tê-la visto ao vivo algumas vezes, chegando a ser voluntária em sua fundação, em Bogotá”.

Ao lado dela está o colega Sam Reds, que ostenta uma trajetória de fã tão duradoura quanto. “Acompanho Shakira desde “Pies Descalzos” e tenho a música dela como a trilha sonora da minha vida. Em todos estes anos, até me tornei membro de um fã clube”.

Juntos e ainda passeando pela letra “A”, eles já dissecaram seis canções, a começar por “23”, balada de faz parte de seu álbum autointitulado (2014). Dedicada ao namorado Gerard Piqué, a faixa se destaca não apenas pela carga de vulnerabilidade com que descreve o início da relação, mas também pela escolha peculiar de palavras como o termo “agnosticismo”, pouco usual para a métrica pop.

Há também episódios curiosos como o de “Amarillo”, um dos destaques do disco “El Dorado”. Composta com o velho parceiro de estúdio Luisfer Ochoa, existem diversas teorias a respeito do material. Uma delas a de que poderia ser interpretada como um hino LGBTQ+ e pode ter sido inspirada por sua amizade com o cantor argentino Gustavo Cerati.

Outro capítulo que chama a atenção é o de “Animal City”, faixa de “Oral Fixation, Vol. 2” (2005) praticamente esquecida no currículo. Os hosts tentam decifrar os sons de todos os animais incluídos no decorrer da faixa, além de discutir em que contexto a letra teria sido escrita. Entre as possibilidades, estão críticas à dinâmica financeira da família Mebarak, o discurso anticapitalista e o clima na indústria musical dos anos 2000.

Para maratonar os episódios já disponíveis e ficar de olho nas próximas estreias, que acontecem sempre às quartas-feiras, basta seguir o Shakipedia no Spotify.

 

Comentários

Topo