Menu Papel POP
Foto: Reprodução

Linn da Quebrada e Laís Caldas conversam sobre envio de torpedo e erro de pronomes

Após o apresentador Tadeu Schmidt ter feito uma intervenção ao vivo no BBB do último domingo (23), solicitando que Linn da Quebrada reiterasse aos colegas de confinamento que deve ser tratada no gênero feminino, a médica Laís Caldas decidiu procurá-la.

Agora à tarde, na sala, ela revelou ter sido a autora de um torpedo enviado no sábado que dizia: “Para @Linn: você está solteiro? Um amigo meu quer saber KKKK”.

Do lado de fora, endossada por outras ocasiões em que colegas tiveram atitudes violentas ao errar seus pronomes ou mesmo questionar a atriz e cantora sobre a validade de termos transfóbicos, o assunto repercutiu. A hashtag “LINA MERECE RESPEITO” chegou a ficar entre os assuntos mais comentados do Twitter.

Sozinha com Lina, Caldas explicou o uso das palavras “solteiro” e “solteiro(a)” que, segundo ela, foram extraídos de uma brincadeira feita pela própria artista em seu primeiro dia na casa.

Linn: “Não foi com a intenção, né?”
Laís: “Não, não”.
Linn: “Ah, sim. Por isso que eu nem perguntei pra galera quem tinha mandado. Você quis dizer que era eu perguntando pra galera quem estava solteiro, né?”
Laís: Sim! Eu mandei um torpedo antes e não mostrou no dia, só no outro. Aí eu pensei em mandar mais um, porque achei muito legal você perguntando isso pro povo (…) Como era homem e mulher na frente, botei o azinho (a) para homem e mulher. Era como se você estivesse perguntando.
Linn: “Quando veio o segundo, eu imaginei isso mesmo. Dá uma leitura engraçada mesmo. Mas pode ficar tranquila.

As duas prosseguiram.

Laís: “Você impõe respeito. Você é linda, maravilhosa e plena. Não tem nem como confundir os pronomes. Não te tratei com o outro pronome que eu me lembre. Se eu falei alguma vez, perdão.
Linn: “Não mesmo. Mas, se você falasse eu teria dito. Não me senti desconfortável, porque se não eu fico com um constrangimento que realmente não me pertence. Fico feliz que você tenha trazido isso”.
Laís: “Já estava agoniada”.
Linn: Fico feliz, de verdade. Mas acho que não foi por isso [que Tadeu pediu para Linn comunicar sobre seus pronomes]. Houve erros de pronomes aqui de outras pessoas.
Laís: “No meu torpedo, era como se você tivesse perguntando pras pessoas, não eu te respondendo. Jamais iria te perguntar daquela forma.
Linn: “Tá tudo bem”.

Na festa de sábado, Eslovênia chegou a ser alertada por Lina, que se define como uma travesti, pelos erros sucessivos em relação ao seu modo de se referir. Em conversa com Arthur Aguiar, ela comentou o ocorrido.

Comentários

Topo