Menu Papel POP
Foto: Divulgação

Arte, religião e luxúria: cinco destaques do clipe de “Ateo”, parceria entre C. Tangana e Nathy Peluso

A aguardada colaboração do cantor espanhol C. Tangana com a argentina Nathy Peluso, finalmente, chegou às plataformas de streaming. Liberada na última quinta-feira (7), “Ateo” reúne a essência ardente dos dois artistas em uma bachata, gênero tradicional porto-riquenho. Para construir uma narrativa de devoção, eles pegam carona nessa sonoridade, que volta e meia ganha espaço na cena mainstream.

Como um todo, o registro visual é complementar ao que cantam e potencializa uma mistura que envolve as concepções de sensualidade, religião e pecado.

Mas, afinal, o que você precisa saber (e ficar atento!) quanto a “Ateo”?

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo

Gravado na Espanha, onde Peluso segue em turnê e Tangana trabalha em projetos paralelos, o novo clipe teve como locação a cidade de Toledo, parte da comunidade autônoma de Castela-Mancha a cerca de 70 km de Madrid. Conhecida como a capital das mesquitas, igrejas e sinagogas do país, ela abriga uma forte influencia da arquitetura gótica popularizada no século XIII – algo que os autores de “Ateo” apreciam. Por isso mesmo sua principal catedral foi escolhida como set.

É importante destacar a presença de pinturas e afrescos – refletidos, inclusive, na capa do projeto. A escolha, claro, seria alvo de controvérsia. O arcebispo espanhol Juan Miguel Ferrer Grensche, responsável pela catedral de Toledo, disse em entrevista ao jornal El Mundo que aceitou alugar o espaço, mas não foi consultado sobre o conteúdo do videoclipe. Em suas palavras, acompanhadas por um pedido formal de desculpas à comunidade, ele afirma que o mesmo ofende os fiéis “que se sentirão magoados, justamente, pelo uso indevido de um lugar sagrado”.

Así se baila en España

Es provocador, pero no afecta a la fe": el día en que C. Tangana provocó un  cisma en el catolicismo

A rumba e a bachata, gêneros musicais que se estabeleceram no continente americano combinando melodia própria e sensualidade, são as responsáveis por dar ritmo a essa narrativa de conversão através do amor romântico. Logo, seria necessário que existisse uma coreografia digna do som que se ouve. É hipnótico assistir a Tangana e Peluso dançando agarrados pelo corredor da catedral, quase como se estivessem em transe. Sem pesar a mão na sensualidade diante da possibilidade de utilizar recursos explícitos, eles conseguem fazer com que o expectador sinta a tensão existente entre ambos.

Vocais: “se mueran de envidia”

Polémica tras la grabación de este vídeo-clip de C. Tangana y Nathy Peluso  en el interior de una catedral de Castilla-La Mancha - El Digital de  Albacete

Se Nathy Peluso escolhe cantar efusivamente na maior parte do tempo de seu disco “Calambre”, indicado ao Latin Grammy, ou mesmo em singles mais recentes como “Mafiosa”, na colaboração que faz com C. Tangana a artista segue um caminho inverso. Desta vez, prefere dar um novo alcance à própria voz. Cantando em um tom suave, ela vai do pop ao rap estendendo a potência vocal, explorando lugares que ainda não tinha visitado. Ponto positivo que não deixa de destacar sua versatilidade.

Composição e produção: quem está por trás

“Ateo” é uma canção pop feita entre amigos. Isto porque entre seus coautores e produtores estão Víctor Martínez, Alizzz e Rafael Arcaute. Sobre os dois últimos nomes cabe destacar a relação que têm criado com Tangana e Peluso ao longo dos últimos anos. Alizzz, por exemplo, é creditado como um dos produtores do disco “El Madrileño”, que concorre ao Latin Grammy na categoria Álbum do Ano.

Já Rafael Arcaute tem se firmado como um dos grandes parceiros de Nathy, ao mesmo tempo em que seu currículo traz uma longa lista de premiados artistas. Além de Aterciopelados, Calle 13 e Jorge Drexler, o produtor e engenheiro de som argentino tem colaborações que o levaram a vencer o Grammy em uma soma que até o momento contabiliza 12 estatuetas.

Haters e circo midiático: a relação com as redes sociais

Com direção de Puncho, as cenas de “Ateo” oferecem ao ouvinte uma reflexão sobre o escrutínio público ao qual pessoas públicas estão suscetíveis. Para isso, lança mão de cameos que incluem personalidades reais da mídia espanhola, figuras constantes na TV e na internet. É assim que Tangana mergulha na ideia de que uma simples relação pode se tornar um espetáculo diante dos olhos curiosos. É graças a este interesse que surge a icônica cena em que a cantora argentina degola seu parceiro de cena – uma clara inspiração à estátua de Benvenuto Cellini, “Perseu com a cabeça de Medusa” (1945-1954).

***

“Ateo” está disponível também nos tocadores de música. Escolha seu favorito no link e dê play.

Comentários

Topo