Menu Papel POP
Longa deve chegar aos cinemas em 2022 (Reprodução)

Remake de “O Guarda-Costas” será estrelado por atriz latina, afirma dramaturgo Matthew López

No último domingo (26), Matthew López foi consagrado como o primeiro escritor latino a conquistar o Tony de Melhor Peça por “The Inheritance”. Em entrevista ao Variety divulgada ontem (28), o ator celebrou o feito e abordou o remake de “O Guarda-Costas”, longa de 1992.

De acordo com o dramaturgo, a nova versão do filme estrelado por Whitney Houston e Kevin Costner será protagonizado por uma atriz latina. O filme arrecadou mais de US$ 400 milhões em bilheteria mundial e a trilha sonora dele é considerada uma das mais vendida de todos os tempos. “Quando a Warner Bros. me abordou sobre a ideia, eu rapidamente disse que faria, mas queria que a protagonista fosse uma latina. Eles concordaram com isso”, conta o dramaturgo.

Ele continua: “Tem havido muita especulação sobre o que eu traria para o remake e algumas pessoas estavam assumindo que haveria um enredo gay nisso. Em vez de focar em uma estrela estabelecida como a que Whitney Houston interpretou, trata-se de uma jovem artista latina que acabou de se tornar famosa. É sobre como sua vida mudou porque ela é uma sensação da noite para o dia. No século 21, isso significa que ela precisa imediatamente de proteção. Para mim, foi importante usar essa oportunidade para colocar rostos latinos na tela e para ter suas histórias contadas em grande estilo.”

Sobre ser o primeiro escritor laitno a ganhar o Tony de Melhor Peça, ele reflete: “Eu já sabia há algum tempo que nenhum escritor latino jamais ganhou o Tony de melhor peça. Nilo Cruz foi nomeado e Miguel Piñero foi nomeado, mas ninguém realmente ganhou. Isso nunca é realmente falado, certamente não na imprensa ou na mídia de teatro. Quando fui indicado, há um ano, sabia que, se vencesse, seria o primeiro. Nos 10 meses que se seguiram às nomeações e que antecederam a premiação, nunca vi nada sobre isso escrito.”

“Sentei-me na sexta-feira e escrevi essas palavras. Foi importante para mim porque, se eu vencesse, teria uma plataforma para reivindicá-la não apenas para mim, mas para a comunidade latina em geral”, explica. “Não bastou subir e receber o prêmio. Eu precisava reivindicar isso. Isso é importante porque quando eu estava crescendo, levei muito tempo para me tornar um escritor.”

A peça “The Inheritance” apresenta um relato sobre a vida queer no século 21. “López não tem medo de interromper periodicamente o enredo e limpar o palco para um debate apaixonado: um dos mais intensos é sobre o status da cultura gay que, tendo lutado por tanto tempo contra a opressão, agora se encontra em perigo de ser cooptada”, afirma a crítica do jornal The Guardian.

Por fim, quanto a questões de grupos sub-representados na indústria cultural, Matthew afirma: “Uma das coisas que sempre foi frustrante no teatro, no cinema e na televisão é a suposição de que o público não estará lá. O público tradicionalmente não esteve lá porque você não o procurou. O exemplo perfeito disso foi ‘Podres de Ricos’. Acho que havia uma atitude em Hollywood de ‘Não poderíamos ter previsto isso’. Todos os meus amigos asiáticos disseram, ‘Nós poderíamos ter previsto. Já estava na hora’. Temos que forçar, temos que bajular, temos que convencer e às vezes temos que acenar algumas centenas de milhões de dólares debaixo de seus narizes para chamar sua atenção, como foi o caso de ‘Podres de Ricos’ ou ‘Pantera Negra’”.

A nova versão de “O Guarda-Costas” já está em produção e deve estrear 2022. A data de estreia ainda não foi divulgada.

Comentários

Topo