Menu Papel POP
Projeto estreia no final de 2021 na HBO (Reprodução)

“Jagged”: doc sobre Alanis Morissette traz relato de violência sexual no início da carreira

Alanis Morissette ganhou um documentário sobre o início de sua carreira pela HBO. Lançado no Festival Internacional de Cinema de Toronto na última terça-feira (14), “Jagged” conta com entrevistas sobre o período que incluem um relato de violência sexual sofrido pela artista.

No filme, ela revela ter sido estuprada por vários homens no período em que gravava seu primeiro projeto. A cantora relembra uma viagem pelo Canadá para trabalhar no seu álbum de estreia autointitulado, que foi lançado quando tinha 16 anos. Durante a entrevista, ela cita ser “atingida várias vezes por pessoas muito velhas” quando ia a boates nos dias de folga. No período, trabalhava em estúdio por mais de 12 horas por dia.

“O fato de eu não contar informações específicas sobre minha experiência de adolescente foi quase exclusivamente em torno de querer proteger meus pais, proteger meus irmãos, proteger futuros parceiros, me proteger, proteger minha segurança física”, diz ela. “Era uma grande vergonha ter qualquer tipo de vitimização de qualquer tipo, e levei anos na terapia para admitir que não houve qualquer tipo de vitimização da minha parte. Eu sempre dizia: ‘Eu estava consentindo’, então eu seria lembrada, ‘ei, você tinha 15 anos. Você não está consentindo com 15’. Agora, eu entendo, eles são todos pedófilos. É tudo estupro estatuário.”

Na época, Morissette tentou contar o ocorrido para algumas pessoas, mas as mesmas faziam “ouvidos surdos” e deixavam o local logo após o relato. “Muitos dizem: ‘Por que aquela mulher esperou 30 anos?’ […] Ninguém estava ouvindo, ou seu sustento foi ameaçado, ou sua família foi ameaçada”, afirma. “Então, sim, toda aquela coisa de ‘por que as mulheres esperam?’ As mulheres não esperam. A cultura não escuta.”

À EW, um representante da artista forneceu um depoimento da cantora afirmando que a mesma não apoiaria o filme no festival canadense. Ela disse que “concordou em participar de um artigo sobre a celebração do 25º aniversário de ‘Jagged Little Pill'”, embora alegue que as entrevistas do projeto foram realizadas “durante um período muito vulnerável”, enquanto ela lutava contra a depressão pós-parto pela terceira vez.

“Fui iludida por uma falsa sensação de segurança e sua agenda lasciva tornou-se evidente assim que vi o primeiro corte do filme”, ​​disse ela. “Foi quando eu soube que nossas visões eram de fato dolorosamente divergentes. Esta não foi a história que concordei em contar. Estou aqui sentado agora, sentindo todo o impacto de ter confiado em alguém que não merecia ser confiável. Decidi não comparecer a nenhum evento em torno deste filme por dois motivos: um é que estou em turnê agora. O outro é que, não ao contrário de muitas ‘histórias’ e biografias não autorizadas por aí ao longo dos anos, este inclui implicações e fatos que simplesmente não são verdadeiros.”

O documentário ainda aborda um distúrbio alimentar vivido durante a adolescência da artista. A questão foi fruto de uma inquietação dos produtores com o peso de Alanis. “Lembro-me de quando tinha 15 ou 16 anos e comecei a ganhar peso porque estava na puberdade, e fui chamada ao estúdio para refazer meus vocais e, quando cheguei lá, o produtor disse: ‘Não estamos fazendo vocais. Estamos aqui para falar sobre o seu peso.'”

Por fim, Morissette disse ao veículo: “Embora haja beleza e alguns elementos de precisão nesta/minha história, com certeza – no final das contas, não vou apoiar a visão redutiva de outra pessoa sobre uma história com muitas nuances para que eles possam entender ou contar.”

“Jagged” estreia no final do ano na HBO. O projeto faz parte da série “Music Box”, que resgata histórias de importantes personalidades da música. A direção é de Alison Klayman.

Comentários

Topo