Menu Papel POP
Artista planeja disco solo para 2022 (Foto: Divulgação/Hannah Carvalho)

Jáder atualiza forró e representações de afeto queer no clipe de “Eu Gosto”

MAIS SOBRE:

Vocalista da banda Mulungu, Jáder vinha se dedicando à criação de canções que se voltavam para o indie rock. A chegada da pandemia transformou seus desejos e, após se conectar com timbres e estilos diferentes, sentiu-se confortável para assumir uma veia criativa mais vibrante.

“Meu corpo quer dançar e cantar pro Brasil todo uma música nordestina, sensual e, antes de tudo, que quebre padrões”, diz Jáder, que se identifica como pessoa não-binária, por e-mail.

O desafio foi oferecer a gêneros como o forró, dominados desde seu nascimento por vozes quase sempre masculinas e narrativas heteronormativas, uma proposta que representasse a diversidade. “Senti que era chegada a hora de atualizar o discurso pra dar voz a corpos LGBTQIA+. Precisamos falar de carinho, amor e afeto”.
“Eu Gosto”, clipe lançado nesta quinta-feira (12), é o ápice dessa ambição. Tendo alcançado um sucesso significativo nas plataformas digitais, a novidade já era conhecida desde o último mês. Nesse buzz, chegou a embalar um especial da TV Globo Nordeste chamado “Que Danado É Influencer?”.
Com direção pelo coletivo audiovisual Bichas Aliadas (PE), o registro audiovisual brinda por meio de imagens impactantes e trocas de figurino uma apresentação que é pop, intensa e teatral ao mesmo tempo em que o protagonismo se centra no próprio romantismo – livre de tudo e para todos.

Um álbum deve ser lançado ainda no primeiro semestre de 2022. “Estou imerso com Barro, Guilherme Assis e Jéssica Caitano, trio que vai produzir as novas canções. Vamos criando mais e mais até fazer o povo dançar”.

Em maio de 21, a Mulungu, formada ainda por Assis e Ian Medeiros, lançou um disco de inéditas batizado como “O Que Há Lá”. À ocasião, o Papelpop conversou com o trio sobre os detalhes do universo sensorial que buscam construir na obra.

Comentários

Topo