Menu Papel POP
Projeto está disponível em todas as plataformas de streaming (Foto: Alex Oliveira/Divulgação)

Gio ilumina os próprios som e ancestralidade em “Nebulosa Baby”, álbum que acaba de chegar

Após entregar em fragmentos uma web série que tinha por objetivo revisitar e desvendar peças importantes de sua trajetória, o cantor Giovani Cidreira, agora Gio, se dedica integralmente à estreia de um novo álbum. As 13 faixas de “Nebulosa Baby” aterrissam nesta quinta-feira (22) pelo selo paulistano RISCO e na companhia de um curta-metragem, que representa os capítulos da obra e orbitam ao redor de temas como ancestralidade periférica e nordestina.

“As letras continuam existencialistas e descrevem experiências vividas cotidianamente e que nos marcam profundamente, mas agora com um tom mais sério e mais direto, ao passo que começo a escrever sobre racismo, drogas, solidão da população negra, a exemplo da recém lançada JOIAS”, diz.

Experimental e pautado em uma estética sonora minimalista, fruto de seus encontros com o produtor Benke Ferraz (Boogarins), o projeto cria uma linha imaginária capaz de conectar um presente moderno à tradicional veia da canção brasileira – já celebrada anteriormente no lançamento de “Japanese Food” (2017), mesmo projeto que o impulsionou a importantes espaços.

“As gravações orgânicas se fundem de tal maneira aos recursos eletrônicos e às intervenções de efeitos de mixagem de Benke e Gui Jesus, que não dá pra saber exatamente quem é quem dentro dos elementos dispostos”, explica. “A canção, com forte ligação à MPB setentista continua ali ainda melhor abraçada pela sonoridade mais contemporânea ligada ao R&B, hip hop e indie rock. As influências do disco vão de Jup do Bairro  (que participa da faixa que abre o disco) a Tyler The Creator, misturados a Robertos Carlos, Clube da Esquina e Blood Orange. Caminho pro futuro sem esquecer do que me formou musicalmente, nada fica pra trás”.

Além de Jup, já citada, o projeto traz ainda as participações de Alice Caymmi, Jadsa, Luiza Lian, Josyara, Ava Rocha, Dinho, Maglore, Obinrin Trio e Luê – todos importantes nomes de uma geração marcada por diferentes identidades e discursos.

Assista a “Nebulosa Baby” clicando na foto abaixo. O disco também está nas plataformas de streaming.

Comentários

Topo