Menu Papel POP
Cantor acaba de estrear single com Farruko (Foto: Divulgação)

Enrique Iglesias: 5 discos essenciais do astro espanhol para se apaixonar e dançar

Já se perguntou de onde vem os bilhões de visualizações/reproduções de Enrique Iglesias? O muso espanhol, fruto do relacionamento de outros dois astros (seus pais são o ícone romântico Julio Iglesias e a modelo filipina Isabel Preysler) é um dos artistas com o maior número de canções na parada Billboard Dance Club Songs Chart, que reúne as faixas mais populares nas discotecas dos Estados Unidos.

Vencedor de vários prêmios, entre eles Grammys, Billboard Music Awards e VMAs, Iglesias tem uma discografia cheia de grandes êxitos. Embora hoje faça a festa nas pistas e acumule números assustadores, o cantor começou apostando em tendências bem diferentes – prova de que soube transitar em todos esses anos por aquilo que estava em voga.

Vamos relembrar trabalhos importantes, que formaram o que o boy é hoje? Preparamos uma seleção com 5 discos incríveis que servem como esquenta para as próximas estreias. Quem sabe, eles também despertem em você uma deliciosa nostalgia?

Enrique Iglesias (1995)

O pop rock dominava as paradas em meados dos anos 1990 e vendia discos como nunca! Bandas de todo o mundo exploravam essa fusão e nomes como Shakira, Alejandro Sanz e Laura Pausini, então iniciantes, já exploravam esse caminho. Com um disco autointitulado, lançado há 25 anos, Enrique Iglesias não só deu o pontapé na própria carreira com a benção do pai como trouxe para si todos os holofotes.

Com densas baladas pautadas por essa mesma estética rock n roll, apaixonada, o rapaz venceu um Grammy na categoria Melhor Performance Pop Latina. Tempos depois, um EP foi lançado com versões em italiano (mercado bastante interessante àquela altura). Trata-se de um trabalho sensível, embora tradicional, e que traz todas as letras compostas pelo autor.

Cosas del Amor (1998)

Cosas Del Amor | Amazon.com.br

Novos recordes e mais fama viriam com “Cosas del Amor”, disco que o levou a ser o Artista Favorito do American Music Awards em 1999. Neste mesmo ano, o projeto chegou a ser indicado ao Grammy Awards na categoria Melhor Performance de Pop Latino, mas acabou perdendo para “Vuelve”, de Ricky Martin. A diferença entre os dois primeiros discos, autointitulado e “Vivir” (1997), é que as faixas foram gradativamente apresentando mais maturidade tanto em arranjos, quanto nos caminhos escolhidos para as composições.

O grande hit da vez, com certeza, é “Nunca Te Olvidaré”, uma elegante canção de amor embalada por pianos e violinos. Foi também nesta época em que a ideia de cantar em inglês começou a rondar sua cabeça…

Enrique (1999)

Release group “Enrique” by Enrique Iglesias - MusicBrainz

Dito e feito. Com o primeiro disco internacional em mãos, Iglesias mergulhou não apenas em um novo idioma, mas também em uma linguagem mais pop. Um pouco antes da estreia, ele já havia se preparado com a estreia de “Bailamos”, mega hit que chegou a vender 5 milhões de cópias físicas.

A faixa acabou entrando na tracklist oficial e ajudou a emplacar outros sucessos como uma poderosa (e hoje pouco notada) parceria com Whitney Houston. Já ouviu “Could I Have This Kiss Forever”?

Quizás (2002)

Enrique Iglesias – Quizás (2002, CD) - Discogs

Após o também (!) exitoso “Escape” (2001), hora de voltar pra casa! Com estreia em #1 na parada Billboard Latin Albums Chart, este foi seu último disco integralmente cantado em espanhol, visto que os demais passariam a apresentar sempre um viés bilíngue. Apostando em letras repletas de fragilidade e em uma sonoridade mais simples, é considerado seu trabalho mais pessoal. Tanto que aborda dilemas e a própria relação com o pai, Julio Iglesias, na faixa-título.

Euphoria (2010)

Euphoria - Deluxe Edition with 3 Bonus Tracks - Amazon.com Music

O eletrônico foi tomando conta dos mais variados gêneros e com as criações de Enrique Iglesias não seria diferente. Após as estreias de “7” (2003) e “Insomniac” (2007), chegaria às lojas e, por fim, às plataformas digitais que ainda engatinhavam “Euphoria”. Um trabalho dançante e com muitas participações especiais.

Além de Akon, Usher, Juan Luis Guerra, Pitbull e Nicole Scherzinger, cantam o duo porto-riquenho Wisin & Yandel e Ludacris. Embora as críticas tenham sido mistas, o cantor não se intimidou na hora de mudar (e, consequentemente, dar o tom do que viria a ser seu novo caminho criativo).

***

Em 2021, o artista prepara não apenas a estreia de uma turnê pelo Hemisfério Norte na companhia de Ricky Martin, como também trabalha em canções inéditas. Uma das novidades é “Me Pasé”, single em parceria com Farruko. O clipe, gravado na República Dominicana, impulsiona o potencial da faixa em se tornar um dos hits do verão. Assista no player abaixo!

 

Comentários

Topo