Menu Papel POP
Gênero tem grandes expoentes em países como Colômbia, México e Porto Rico (Foto: Divulgação)

Camilo, Maluma, Thalia: uma lista com reguetóns contemporâneos pra ninguém botar defeito

As críticas acerca do reguetón, este que é hoje um dos grandes impulsionadores da música latino-americana mundo afora, são muitas e vem de longa data. Desde que “Gasolina”, sucesso de Daddy Yankee, tomou conta das pistas há quase duas décadas, muita gente torceu o nariz para as batidas ritmadas e as letras carregadas de tensão – seja por apresentar a dura realidade dos latinos periféricos, ou por apostar em um conteúdo libertário-sexual.

De qualquer forma, houve quem escutasse e desse valor a este gênero, que é soberano nas pistas e playlists não apenas do nosso continente. Cada vez mais nomes jovens tem apostado nessa música pra mudar de vida e expressar a própria arte de diferentes formas. Há também veteranos que enxergam aí a possibilidade de renovar o próprio som. Abaixo, uma lista com canções atualíssimas pra ninguém botar defeito e provar que o reguetón está cada vez mais diverso (e mirando o topo!).

Camilo e Evaluna Montaner, “Macchu Picchu” (2021)

Um dos casais mais fofos do pop, o colombiano Camilo e a venezuelana Evaluna Montaner decidiram abrir a intimidade e escrever “Macchu Picchu”, uma canção que entrelaça o amor às ruínas da velha capital do Império Inca. No clipe, cheio de detalhes e sensibilidade, não são raros os momentos em que ambos cantam pertinho um do outro. Um gatilho pesado pra quem está longe do(a) amado(a).

Rauw Alejandro, “Sexo Virtual” (2021)

Com disco recém-lançado, o cantor porto-riquenho Rauw Alejandro toma para si o desafio de encarar a combinação romance e realidade virtual. Em um universo cheio de tecnologia, parte em busca da amada por meio de uma narrativa super contemporânea.

Shakira e Nicky Jam, “Perro Fiel” (2017)

“Perro Fiel” foi um single escolhido por Shakira para alavancar não apenas seu disco mais recente, mas também ressuscitar um mito em sua discografia: as madeixas ruivas. No clipe com Nicky Jam, a cantora brinca com fogo enquanto canta sobre o homem dos sonhos.

“Eu não peço nada de extraordinário
Apenas um homem de verdade
Que por mim se atire na lama
Que troque as lâmpadas ou até me lave o carro
Quero um cara atento e carinhoso
Mas que não seja muito ciumento
Que na rua seja um príncipe
Mas que em minha cama seja selvagem e perigoso”

No show “El Dorado”, que passou pelo Brasil em 2018, a artista fez ainda um medley com outra faixa do colega: “El Perdón”. Dobradinha mágica!

Karol G, “Bichota” (2021)

Há quem diga que ela é a maior diva do reguetón. O fato é que Karol G e seu ‘KG0516’, disco lançado no primeiro semestre de 2021, potencializam uma série de aspectos ligados ao feminino. Além da esfuziante parceria com Nathy Peluso, a cantora colombiana também entrega “Bichota”, single que a coloca na posição de comandante, de poderosa “chefona”. É este o significado da expressão que usa para se auto-descrever.

Nicky Jam, “Travesuras” (2016)

Em “Travesuras”, Nicky Jam tenta convencer a amada a baixar a guarda diante de suas investidas. É mais uma canção contagiante e cheia de malícia do cantor norte-americano, que tem ascendência porto-riquenha e dominicana. Um hino para as pistas e, quem sabe, peça fundamental para uma playlist mais, “travessa”, por assim dizer.

Maluma, “Borró Cassette” (2017)

Maluma ainda estava no comecinho da carreira quando lançou “Borro Cassette”, uma canção sobre o clássico… chá de sumiço. Com samples e compassos grudentos, esta é uma daquelas faixas que marcam carreiras e se tornam essenciais pra qualquer playlist do gênero. No clipe, alinhado à composição, o jovem artista narra como se apaixonou por uma garota após passar a noite com ela, mas acabou sozinho visto que os interesses dela foram reservados apenas ao momento.

Rosalía e J Balvin, “Con Altura” (2019)

A conexão Catalunya-Medellín já tinha sido feita por Rosalía e J Balvin, mas você sabe… conhecendo bem o caminho, sempre há algo mais a explorar. Lançada em 2019 e considerada uma das grandes parcerias daquele ano, “Con Altura” consolida a parceria entre o colombiano e a catalã em um hit estrondoso que funciona bem em estúdio, no visual e nos palcos.

Para além do clipe memorável, gravado em um avião pilotado pelo produtor El Guincho, esse mega-sucesso também eternizou memes como “La Rosalía” – um viral em plataformas como o TikTok.

C. Tangana e Darell, Pronto Llegará (2019)

Antecedendo o disco “El Madrileño“, de longe já listado como um dos melhores de 2021, o espanhol C. Tangana liberou a faixa “Pronto Llegará”, uma parceria com Darell. No clipe, pautado em latinidades e em uma estética anos 1970, os artistas caem na pista de dança – um cenário com muita aglomeração e flertes pesados. Bate aquela saudade de um inferninho…

Ozuna, “TIEMPO” (2021)

O tempo é o senhor das coisas e pode ser muito precioso. Por isso mesmo, Ozuna passa o recado: use o seu com consciência. No single “Tiempo” ele explica as razões pelas quais deixou a amada e buscar respostas para “amores como o dela”, que diz não entender. Trata-se de uma faixa mais lenta do que as habituais, perfeita pra ouvir sem compromisso em um dia de sol.

Thalia e Natti Natasha, “No Me Acuerdo” (2018)

Duas mulheres incríveis dividindo os vocais e prontas pra dizer em alto e bom som: não somos propriedade de ninguém. Thalia e Natti Natasha são as patroas em “No Me Acuerdo”, uma canção essencialmente urbana, mas que bebe na fonte do reguetón. Elas saem pra curtir e não tem medo de assumir o que fizeram diante do ciúme desenfreado de terceiros. E sororidade é a palavra!

“Você não tem nada que dizer, cara de pau
Você me disse que chegaria às 22h e chegou à 1h
Na outra vez e eu estava te esperando
Eu também tenho o direito de me divertir
(…)
Eu disse que voltaria às 22h e cheguei às 3h
Bem, pode ser que tenham sido às 4h
Fui me divertir”

Comentários

Topo