Menu Papel POP
Documentário com antecedentes e bastidores do processo está disponível na Globoplay (Foto: Divulgação)

Britney Spears: Justiça nega pedido anterior, feito em 2020, para retirar pai do controle de patrimônio

Uma semana após ter falado abertamente sobre sua rotina baixo a curatela do pai e ter formalizado o desejo de revisão dos critérios que a mantém interditada, um dos pedidos de feitos por Britney Spears e seu advogado junto à Justiça norte-americana foi negado. A informação é da Variety e foi publicada nesta quarta-feira (30).

De acordo com a revista, a decisão se deve a uma solicitação feita em novembro de 2020 para retirar integralmente o pai, Jamie Spears, do controle de seu patrimônio, e não a um desdobramento do depoimento dado na semana passada, que rendeu uma longa e dramática fala com repercussão internacional.

Embora Spears tenha dado esta efusiva e detalhada declaração sobre sua rotina durante 24 minutos, bem como anexado novas provas de que está apta a retomar o controle de sua própria vida, o juiz responsável pela sentença não pode tomar qualquer decisão com base no que ela afirma no momento presente. Para isso seria necessário que sua defesa entrasse com uma petição formal a fim de rescindir os direitos concedidos – o que ainda não aconteceu.

À ocasião, o advogado Samuel Ingham III solicitou a remoção do pai da cantora, Jamie Spears, da gestão de sua fortuna. Como alternativa, apenas o grupo gestor Bessemer Trust assumiria o controle dos bens de Britney. Em seu pedido, Ingham III afirmou que a cliente estava “com medo de seu curador” e que se recusaria a se apresentar novamente nos palcos se seu pai continuasse no comando de sua carreira.

A juíza Brenda Penny, que ouviu Britney novamente em junho de 2021, se recusou a suspender o pai das funções que exerce há 13 anos, embora não tenha descartado futuras petições para uma nova avaliação ou eventual suspensão, além de ter concedido ao Bessemer Trust parte da responsabilidade financeira sobre a artista.

O processo revisado nesta quarta-feira (30) também declara que o Tribunal Superior de Los Angeles julga Spears, com base em evidências, alguém “substancialmente incapaz de administrar seus recursos financeiros ou de resistir a fraude ou influência indevida”.

Os eventos recentes do caso de Spears tem atraído os olhares de fãs do mundo todo e da própria imprensa dada a pressão feita por movimentos como o Free Britney, que pede pela devolução da autonomia da estrela. Após ter dito em Juízo que chegou a tomar remédios contra sua vontade e que foi impedida de ter um filho, inclusive, tendo sido forçada a instalar um DIU em seu próprio corpo, os advogados de Jamie Spears pediram que o Tribunal abra uma investigação sobre as alegações de abuso sofridas pela filha.

O judiciário também encerrou um esquema que permitia que membros da imprensa acompanhassem processos de forma remota, algo que se tornou rotineiro durante a pandemia, após o depoimento de Britney dado na última semana ter sido gravado e vazado.

Novas decisões tomadas com base no depoimento feito em 23 de abril, de acordo com especialistas, não devem ser imediatas.

Comentários

Topo