Menu Papel POP
Lia Clark, Maria Gadú, Pepita e Mateus Carrilho também estiveram no evento (Ernna Cost/Divulgação)

Pabllo Vittar, Majur, Gloria Groove e mais se apresentam na 25ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo

Neste domingo (06) aconteceu a 25ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Pela segunda vez em formato online, o evento teve o tema “HIV/Aids: Ame + Cuide + Viva +” como guia.

Iniciado por volta das 14h, a programação contou com debates sobre importantes assuntos para a comunidade queer, recados de artistas e influenciadores. Música e performances arrebatadoras não faltaram. Shows de Gloria Groove, Lia Clark, Maria Gadú, Majur, Mateus Carrilho, Pabllo Vittar, Pepita e Sandra de Sá marcaram a edição.

“É importante entender que o HIV/Aids não é exclusividade de algumas pessoas ou de determinados grupos. É um tema que deve ser abordado com inteligência, empatia e boa vontade por toda a sociedade porque é transversal e perpassa por diversos recortes sociais, étnicos-raciais, religiosos e geográficos. Mas também é importante tratar do assunto com leveza para podermos amar mais, cuidarmos mais uns dos outros e vivermos mais e melhor. É isso que queremos trazer nessa segunda versão virtual da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo”, afirma Cláudia Regina Garcia, presidente da APOLGBT-SP.

O evento conta com apresentação de Lorelay Fox, Spartakus, Nátaly Neri, Mandy Candy, Bielo, Lucas Raniel, Louie Ponto, Jean Luca, Tchaka, Alberto Pereira Jr. e da dupla criadora do Diva Depressão.

Shows 

Maria Gadú realizou a abertura do evento com uma potente interpretação de “O Tempo Não Para”, de Cazuza. Na sequência, apresentou as músicas “Lounge” e “Axé Acapella”. Em cima de um trio elétrico, um telão ao fundo mostrava imagens da cidade de São Paulo. Essa foi a primeira vez que a artista se apresentou na Parada de SP.

Majur foi a segunda a se apresentar. Após uma série de conversas sobre a temática que o evento carrega e emocionantes vídeos de representantes das bandeiras LGBTQIA+, a artista fez um show vibrante.

Cantando sucessos do álbum de estreia “Ojunifé” como “Agô”, “Seja o Que Quiser” e “Ogunté”, a artista bradou bem alto durante a performance “Eu posso ser quem eu quiser ser!”.

Quando Sandra de Sá subiu ao palco, ela avisou: “Aqui é diversão e reflexão”. Fazendo jus ao lembrete, a cantora chegou com os sucessos “Soul de Verão” e “Blues da Piedade’. O vozeirão dominou toda a Parada. Confira uma das performances:

Na sequência, Lia Clark subiu ao trio para cantar faixas do disco “É da Pista” e realizar a primeira performance ao vivo de “Eu Viciei”, colaboração com Pocah.

Outro artista que colaborou com a sequência de shows foi Mateus Carrilho. Entre os sucessos apresentados, o dono do hit “Prive” cantou “Chega”, colaboração com Duda Beat e Jaloo, e “Vai Passar Mal”, feat. com Pabllo Vittar. Recém-lançada, a música “Pancada” fechou a performance.

Tirando todo mundo do sofá, Pepita fez parte das apresentações da noite. Com a cantora, o funk dominou a pista da Parada SP. “Pega Pega” e “Chifrudo” fizeram parte do repertório da musa, que mandou poderosos recados no decorrer do show.

Trajando um look e uma make neon, Gloria Groove executou a penúltima apresentação do dia. Cantou sucessos da carreira incluindo “A Caminhada”, do EP “Alegoria”, e “Deve ser horrível dormir sem mim”, parceria com Manu Gavassi. “A Tua Voz”, faixa carro-chefe do projeto “Affair”, foi responsável por um dos momentos mais emocionantes do show.

Para fechar com chave de ouro, Pabllo Vittar entregou coreografias e inúmeros hits da carreira no show final. De “Vai Passar Mal” a “Ama Sofre Chora”. Minutos antes da apresentação, a estrela confirmou: o próximo álbum chega entre este mês e o próximo.

Conteúdos especiais:

História do HIV/AIDS com Lucas Raniel

Indígenas LGBT+ com Katú Mirim

Os Direitos LGBT + Conquistados! com Valter Rege 

Representatividade Política LGBT+ com Valter Rege

Os demais conteúdos especiais do evento podem ser vistos por aqui. Assista a transmissão completa:

Comentários

Topo