Menu Papel POP
Ao todo, o trabalho de estúdio reúne nove faixas (Lucas Bori / Divulgação)

Lila aborda transformações da maternidade no disco “Puérpera”

“Puerpério é a vivência do luto da mulher que você era e nunca voltará a ser”. É com essa definição que a cantora e compositora Lila apresenta o primeiro disco da carreira, intitulado “Puérpera”, ao mundo.

Acompanhado por uma zine digital, o projeto chega após um longo período de reclusão desde a gestação do primeiro filho da artista amapaense de documento e carioca por vivência. A obra conta essa trajetória com a maternidade – da gravidez ao parto e do puerpério ao surgimento de uma nova visão sobre ser mulher.

O fio condutor de “Puérpera” parte das transformações do corpo e da alma: o esgotamento físico, as tempestades emocionais e os tabus com os quais se deparou no período de gravidez.

“O processo de maternidade é pesadíssimo. Quando eu me vi no meio dessa vivência, senti necessidade de, primeiro, me curar e entender o que estava acontecendo para, depois, conversar sobre isso com as pessoas. A música foi o canal que encontrei”, explica Lila em nota.

Ao todo, o trabalho reúne nove faixas. Em uma delas, “Gira”, há participação da artista carioca Letrux com declamação de texto. Além da colaboração vocal, a composição foi feita em parceria com a cantora e compositora Ana Lomelino.

O disco é produzido por Diogo Strausz, conhecido por trabalhos com Alice Caymmi e BaianaSystem, e Tomás Tróia, responsável pelas produções de Duda Beat ao lado de Lux Ferreira.

Ouça “Puérpera”:

Comentários

Topo