Menu Papel POP
Série documental tem cinco episódios (Divulgação)

“Lexa: Mostra Esse Poder” chega hoje (24) ao Globoplay; cantora reflete trajetória: “Não foi nada fácil”

A série documental “Lexa – Mostra Esse Poder” chegou ao Globoplay na primeira hora desta quinta-feira (24). Dividido em cinco episódios, a produção foca nas múltiplas facetas da artista carioca e apresenta nuances de sua trajetória rumo ao estrelato.

Para celebrar o lançamento, a cantora vai disponibilizar a faixa “Prazer, eu sou a Lexa” amanhã, dia 25, nas plataformas digitais. A distribuição é da gravadora Som Livre. Feita para acompanhar o projeto, a canção é apresentada no primeiro capítulo do documentário.

Ser uma das grandes artistas de funk atual é também carregar consigo a jornada marcada por lutas pessoais, mas também de quem veio antes. O projeto busca captar pontos importantes desse caminho e, de acordo com a dona do hit “Sapequinha”, passear por alguns pontos da história do gênero brasileiro. Para amarrar a narrativa, o documentário conta com depoimentos de familiares de Lexa e de nomes como Xuxa Meneghel, Preta Gil, Veronica Costa, Tati Quebra Barraco e KondZilla.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Lexa (@lexa)

Durante a coletiva de lançamento da produção, Lexa contou ao Papelpop sobre as dificuldades vividas durante a sua carreira. “Gravamos o documentário no ano passado. Acho que de uma forma muito clara, as pessoas vão poder acompanhar todos os processos. Não foi nada fácil, nem um pouco mesmo”, conta ela sobre sua trajetória profissional.

“Acho que passa no doc. um momento que minha mãe fala sobre um DJ famoso do Rio de Janeiro que disse que se eu não ficasse com ele, não chegaria a lugar nenhum. Falou isso pra mim e para minha mãe”, relata. “Minha mãe tomou frente e falou assim ‘Oi, como é que é? Minha filha não vai ficar com você! Minha filha vai chegar muito longe, eu tenho certeza disso!’ Então, a gente sempre deu muito duro, sabe? Escutamos muita coisa pesada na cara, de uma forma muito machista, muito desrespeitosa. E graças ao bom Deus, a gente teve muita paciência e perseverança. Eu sempre dei muito duro e é isso. Além de vir do funk, sou mulher, consegui conquistar o meu espaço e por muito tempo fui comparada enquanto procurava o meu lugar ao sol. Não foi fácil. Mas eu consegui e esse documentário mostra isso”, conclui.

Na conversa com os jornalistas, Lexa ainda cita que a série documental vai mostrar pontos até então pouco conhecidos de sua vida. Fragilidades, processos criativos e vivência com o marido MC Guime e familiares. Ao assistir, ela cita que o projeto também serviu como um processo de autorreconhecimento. como um registro de sua humanidade.

(Divulgação)

(Divulgação)

O projeto do documentário original Globoplay é feito em parceria com o Multishow – com quem Lexa tem uma relação de longa data – e produzido por KondZilla Filmes, com produção executiva de Konrad Dantas e Darlin Ferrattry. No canal, a artista já comandou programas como o TVZ Temporada Lexa, Verão Multishow e No Gás do Just Dance, além de ter passado pelo palco do Prêmio Multishow, onde já recebeu o troféu de Clipe TVZ do Ano e se apresentou num número musical que ficou marcado em sua carreira e está no documentário.

Além do Globoplay, em outubro, o documentário será exibido no Multishow.

Comentários

Topo