Menu Papel POP
(Foto: Getty Images)

Britney Spears depõe contra interdição: “Fizeram um bom trabalho explorando minha vida”

A tarde da última quarta-feira (24), início da noite no Brasil, foi marcada por mensagens de apoio nas redes sociais e manifestações presenciais nos arredores da corte de Los Angeles. Durante 24 minutos, Britney Spears depôs à Justiça norte-americana a fim de solicitar que a curatela de seu pai, Jamie Spears, e sua respectiva interdição, um processo que já leva 13 anos, seja suspensa.

Em sua fala, aberta ao público e marcada por fortes relatos, a cantora disse ver o processo como “abusivo” e que se sente “traumatizada”. Nitidamente agoniada, Spears, que havia pedido para falar diretamente com a juíza Brenda Penny, também afirmou ter sido poupada de trâmites do processo por seus advogados e família, comparando a própria rotina com a de uma “escrava sexual”.

A popstar também se queixou de não ter o controle dos próprios desejos, entre eles sair sem ser monitorada e ter um filho com o namorado, Sam Asghari. Segundo ela, um DIU, método contraceptivo reversivo, chegou a ser instalado em seu corpo contra a própria vontade.

“Eu tenho um DIU [dispositivo intrauterino] dentro de mim agora, então não fico grávida. Queria tirá-lo para começar a tentar ter outro filho, mas essa suposta equipe não me deixa ir ao médico tirar, porque não querem que eu tenha filhos . Então, basicamente, essa tutela está me fazendo mais mal do que bem. Eu mereço ter uma vida (…) As pessoas que fizeram isso comigo não deveriam ser capazes de sair por aí simplesmente”.

Conforme apurou a agência de notícias Associated Press, é possível que o processo não ganhe um desfecho imediato, de modo que a corte deve levar ainda algum tempo para uma deliberação final a respeito do pedido de fim da curatela.

A cantora também disse que foi obrigada a tomar doses de lítio, medicamento que descreveu como “uma droga forte” usada no tratamento de transtorno bipolar. A ingestão teria feito com que ela se sentisse bêbada e sem forças para conversar. Visivelmente cansada, Britney disse que gostaria de ser capaz de processar seus curadores – pessoas que, ao menos teoricamente, deveriam cuidar de sua saúde mental.

“Eu disse ao mundo inteiro que estou bem e estou feliz, mas é uma mentira. Eu não estou feliz. Eu não consigo dormir Estou com tanta raiva que é insano. Estou deprimida (…) Eu não deveria estar em uma curatela se posso trabalhar e conseguir dinheiro para mim e bancar outras pessoas. As leis deveriam mudar”.

“Tenho que estar de acordo com este tratamento. Não posso ser forçada a fazer o que não quero fazer”.

“Meu pai e todos os envolvidos nesta tutela, inclusive o meu empresário… deveriam estar na prisão”.

Feito por Zoom, o depoimento da artista não sofreu cortes ou interferências, segundo seu advogado de defesa, Samuel Ingham. Em determinado momento, a juíza Penny interrompeu a fala para pedir que a artista falasse um pouco mais devagar e se acalmasse.

“Antes eu pensava que ninguém acreditaria em mim. Pensava que as pessoas iriam zombar de mim. Mas agora eu quero minha vida de volta. Foi o bastante”.

“A tutela não fazia sentido algum desde o início. Eu pago as pessoas para que me controlem (…) Meritíssima, eu trabalho desde os 17 anos. Você precisa entender como isso é difícil para mim. Todas as manhãs, eu me levanto para saber que não posso ir a algum lugar a menos que eu encontre pessoas que não conheço. Todas as semanas [estou] em um escritório idêntico àquele onde o terapeuta foi extremamente abusivo comigo. Eu realmente acredito que essa tutela é abusiva, e que podemos ficar aqui sentados o dia todo e dizer ‘Ah, a tutela está aqui para ajudar as pessoas’. Mas, meritíssima, existem milhares de curadores que também são abusivos'”.

Britney também denunciou o fato de que foi forçada a fazer mais sessões de terapia do que o combinado durante a semana, bem como cumprir compromissos que não estava preparada.

“Eu mereço ter uma vida. Eu trabalhei minha vida inteira. Eu mereço ter um intervalo de dois a três anos e, você sabe, fazer o que eu quero fazer. Hoje eu me sinto aberta e posso falar com você sobre isso. Mas eu gostaria de poder ficar com você no telefone para sempre, porque quando eu desligar a chamada com você, de repente, ouvirei todos esses ‘nãos’ – ‘não, não, não’. E então, de repente, eu me sinto cercada, me sinto intimidada e me sinto deixada de fora de tudo e sozinha. E estou cansada de me sentir sozinha. Mereço ter os mesmos direitos de qualquer pessoa, ter um filho, uma família, qualquer uma dessas coisas e muito mais”.

Em resposta às acusações da filha, a equipe jurídica de Jamie Spears argumentou que o empresário “lamenta ver a filha sofrendo e com tanta dor” e que ele a “ama e sente muito sua falta”. No Twitter, a hashtag #FreeBritney, um símbolo da luta por liberdade da cantora, chegou a ter mais de 1 milhão de menções e cerca de 500 mil posts nas últimas 24h.

A íntegra da fala de Britney, em inglês, está disponível na Variety.

Comentários

Topo