Menu Papel POP
Série, que se popularizou em todo o mundo, teve início em 1989 na sede norte-americana da emissora (Fotos: Divulgação)

Mariah Carey, Rita Lee, Jay Z e mais: 10 shows da série “Acústico MTV” para você ouvir agora

Se hoje a gente ama quando nossos artistas favoritos gravam participações em programas como Tiny Desk, COLORS, Vevo DSCVR e etc, anos atrás esse tipo de apresentação ao vivo, intimista, tinha um endereço certo: a MTV. O canal, que marcou gerações e ajudou a moldar a indústria do entretenimento, estabelecendo de vez os videoclipes e divulgando ao público novos nomes da música, também foi responsável por apresentações faraônicas, em versões longe de sintetizadores e instrumentos eletrônicos.

Isso porque, sem dúvida, um dos produtos de maior sucesso da emissora foram os shows acústicos, que se tornavam sucesso instantâneo. O programa “MTV Unplugged”, que no Brasil ficou conhecido como “Acústico MTV”, ao todo, reuniu grandes estrelas da música mundial, como a banda Nirvana, Paul McCartney, Gilberto Gil, Kiss, Skank e outros.

Vale dizer que o programa retomou suas gravações em 2019, com os shows de Liam Gallagher e, no Brasil, com o cantor Tiago Iorc. Logo, como escutar boas produções nunca é demais, separamos 10 shows para você curtir agora em streaming.

Kid Abelha

Um dos álbuns mais vendidos de 2002, o Acústico MTV do Kid Abelha foi um grandes sucessos desse formato. Servindo como de cartão de visitas para uma nova geração, que a partir dali passou a conhecer a banda que coleciona hits desde a década de 1980, o show trouxe um compilado de músicas extremamente populares no país, como os singles “Lágrimas e Chuva“, “Pintura Íntima” e “Grand’Hotel“.

Apostando em repertório diverso, Kid Abelha não hesitou em mergulhar na MPB e no Pop, regravando, inclusive, covers das faixas “Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda“, de Hyldon, e “Quero Te Encontrar“, da dupla Claudinho & Buchecha.

Lauryn Hill

Foi aqui que pediram “voz e violão”? Pois é assim que Lauryn Hill chega, em 2002, MTV Unplugged. Depois do sucesso espetacular do álbum “The Miseducation of Lauryn Hill”, o público estava sedento por um novo disco da estrela. Bom, ainda continuam. No entanto, o compilado acústico serviu para matar a saudade da artista que surpreendeu com novas composições e um jeito intimista. Vale ouvir do início ao fim.

Rita Lee

Precursora do formato acústico no Brasil, em junho de 1998 foi a vez de Rita Lee deixar sua marca na série “Unplugged”. Com show gravado no Rio de Janeiro, a mãe do rock empreendeu uma viagem que percorreu o próprio (e extenso!) repertório ao revisitar grandes hits, entre eles “Ovelha Negra“, “Desculpe o Auê” e “Mania de Você” (aqui, diga-se de passagem, interpretada de maneira elegantérrima na companhia de Milton Nascimento, ao piano).

Além de Bituca, mais participações ilustres: Paula Toller, Cássia Eller e os Titãs dividiram o palco com a artista, que também apresentou duas canções inéditas. A primeira, “M Te Vê”, faz referência ao nome da emissora e cita temas daquele ano, como Copa do Mundo da França e as eleições presidenciais. Já “O Gosto do Azedo”, composição do filho Beto Lee, é um poema sobre as armadilhas do vírus HIV. Arriscado dizer, já que Rita tem tantas eras incríveis, mas, sem dúvida, esta é uma de suas melhores fases vocais.

Destaque para “Doce Vampiro”, “Coisas da Vida” e a versão inédita de “Gita”. Sim, o clássico de Raul Seixas! Os arranjos de Roberto de Carvalho, oh boy

Shakira

Responsável pela primeira vitória da cantora colombiana no Grammy Awards, conferida na categoria Melhor Álbum Pop Latino, e mais, por lhe dar dois prêmios Grammy Latino na primeira edição do troféu, em 2000, o MTV Unplugged de Shakira percorre o repertório de seu lançamento mais recente até então: o LP “Dónde Están Los Ladrones?” (que à época, pensava-se, seria regravado em inglês).

Do popular “Pies Descalzos”, entra no set apenas “Estoy Aquí” que, arranjada pelo diretor musical Tim Mitchell, se transformou em um potente jazz. O fato é que esse especial inspirado nos elementos básicos da vida e gravado em 1999 em Nova York, acabou se transformando em uma febre. Do universo dos mariachis à herança árabe dos avós… Os vocais precisos desta jovem Shakira empregados aqui a levaram a ser a primeira artista de língua espanhola a ter um show da série Unplugged exibido nas cadeias dos Estados Unidos e na Europa.

Se você já assistiu ao DVD, deve se lembrar do visual icônico escolhido para a ocasião: naqueles meses, Shakira estava ruiva, ruivíssima. Um dos mais belos registros do catálogo.

Mariah Carey


E por falar em voz… O microfone tá ligado? Com Mariah Carey a resposta é sempre “SIM”, e ainda bem. Soltando o vozeirão que a gente ama e que, na época, alguns duvidavam que fosse real, pouco tempo depois de lançar o álbum “Emotions”, Mariah entregou a versão acústica dos seus principais hits do início da década de 1990. Que perfeição, viu?

Embora seja um EP, com apenas sete faixas, esse é um dos lançamentos mais icônicos do projeto da MTV e que mostra todo o talento de uma das principais cantoras de sua geração. Além disso, o álbum traz o cover “I’ll Be There”, dos Jackson 5, e o sucesso “Vision of Love”.

Charlie Brown Jr.

Diretamente de Santos, o primeiro álbum ao vivo da banda Chalie Brown Jr., apresentou ao público um dos melhores trabalhos do grupo. Gravado em agosto de 2003, o acústico conta com a presença de RZO e Marcelo Nova. No entanto, uma das partes mais emblemáticas do disco fica por conta da parceria entre Chorão e Negra Li, na emocionante “Não é sério”. Já com o rapper Marcelo D2, é um momento de animação geral. Isso porque os artistas levantaram a plateia ao som de “Samba Makossa“, de Chico Science.

Jay Z

É difícil imaginar o Jay Z fazendo este tipo de apresentação, né? Mas, em 2001, o rapper provou que quando um artista é bom, todo formato de show é bem vindo. Com a presença marcante da banda “The Roots”, o artista cantou sucessos, como “Big Pimpin’”, “Can I get A …” e “Hard Knock Life”.

Para ficar ainda melhor, Mary J. Blige dividiu os vocais com o rapper na música “Can’t Knock the Hustle” e o incrivel Pharrell se juntou a Jay Z para performar a faixa “I Just Wanna Love U (Give It Me)”.

Cássia Eller

Agora é soltar o play e matar a saudade, hein? Gravado no mesmo ano em que nos deixou, Cássia Eller entregou tudo e mais um pouco na apresentação do seu “Acústico MTV”, em 2001. Com direção de, ninguém menos, que Nando Reis, o álbum foi o compilado mais vendido da artista e, inclusive, rendeu um Grammy Latino de Melhor Álbum de Rock Brasileiro.

Os registros aconteceram em dois dias e trouxeram uma verdadeira homenagem a grandes compositores da música nacional, como Marisa Monte, Renato Russo, Chico Buarque e o próprio Nando Reis, que aproveitou para fazer um feat com Cássia.

O show apresenta também as participações de integrantes da Nação Zumbi e do cantor Xis.

Sandy & Junior

Último lançamento dos irmãos mais amados do país, pelo menos antes do reencontro para a turnê “Nossa História”, de 2019, o acústico de Sandy e Junior tem aquele gostinho emocionante de despedida. Afinal, o compilado foi escolhido para ser o trabalho de encerramento da dupla.

Cantando os principais hits de sua trajetória, como “As Quatro Estações”, “Não dá pra não pensar” e “A Lenda”, os artistas receberam nomes de peso para a gravação do disco. É o caso das parcerias com Ivete Sangalo e Lulu Santos.

Alicia Keys

Diretamente do Brooklyn Academy of Music, em 2005, Alicia Keys roubou a cena ao se apresentar no chamado Unpploged (Acustico MTV). Apesar de ter lançado apenas os álbuns “Songs In A Minor”, de 2001, e “The Diary Of Alicia Keys”, de 2003, a cantora não se intimidou e entregou hits, qualidade e muito talento.

Entre as participações, para acompanhá-la na faixa “Wild Horses”, dos Rolling Stones, a artista escolheu Adam Levine. Já em “Welcome to Jamrock”, Alicia contou com a presença de Mos Def, Common e Damian Marley.

Comentários

Topo