Menu Papel POP

“Usei batidas do funk brasileiro para fazer “Circus” da Britney Spears”, conta produtor Benny Blanco em entrevista ao Papel Pop

Ah, Benny Blanco… O que dizer sobre produtor que é responsável por hits como “Circus” da Britney Spears, “I Kissed a Girl” da Katy Perry, “Tik Tok” da Kesha, “Moves Like Jagger” do Maroon 5, “Love Yourself” do Justin Bieber – acho até  que colocar o nome desses artistas do lado das faixas é algo desnecessário, já que elas explodiram tanto nas paradas que fizeram um nome por si só, não é mesmo? Pois bem, Benny Blanco é o ponto em comum com essas e várias outras músicas que marcaram uma geração e é desde 2018 que o artista de 32 anos decidiu seguir sua carreira autoral e divulgar o seu nome abertamente com o mundo. Seus trabalhos mais recentes são “Lonely” com Justin Bieber e “You” com Marshmello e Vance Joy. Confira: 

Também conhecido como “terapeuta dos famosos”, Benny diz que ao se juntar com um artista para fazer música, gosta de entrar em contato com o mesmo em uma relação de honestidade e autenticidade: “Se eu não estiver com uma pessoa de verdade na minha frente, eu não tenho como e com o que trabalhar.” Imagina ouvir todos os problemas e frustrações dos cantores mais famosos da indústria pop? Deus me livre, mas quem me dera! 

Nosso papo com o produtor, que deixou sua timidez de lado durante a conversa, foi um pouco sobre tudo: desde o desenvolvimento de sua carreira até vídeos de qualidade duvidosa do seu TikTok – e claro, Brasil! PS: Benny admitiu estar obcecado pelo funk “Amor ou Litrão” do Menor Nico e Petter Ferraz e usar batidas de funk para produzir um single da Britney Spears. Essa e outras confissões você confere abaixo:

 

PP: Conta pra gente como foi o desenvolvimento do single “You” com o Vance Joy e Marshmello…

Muito obrigado! Eu já trabalhei com o Vance antes! Fizemos um monte de músicas juntos no passado e eu o amo demais! Já com o Marshmello, nós sempre quisemos fazer algo juntos mas nunca dava! Aí eu estava fazendo essa música com o Vance e disse “Quer saber? É agora que eu colaboro com o Marshmello!”, e ele topou. Comecei a tocar no piano pra ele e dois segundos depois a música fazia sentido e… Às vezes fazer música funciona que nem magia, sabe? A coisa dá certo e de repente tá tudo ali! Eu fico bobo [risos]…

 

PP: Seu trabalho sempre envolve outros artistas, o que você espera deles quando você produz?

O meu segredo é nunca criar expectativas, eu gosto de deixar as coisas fluirem naturalmente e pra isso acontecer, ambas das partes têm que estar muito confortáveis com o ambiente criativo. Se eu não estiver com uma pessoa de verdade na minha frente, eu não tenho como e com o que trabalhar, então gosto de deixar as pessoas confortáveis ao ponto delas me contarem sobre as vidas delas, ao ponto da gente ficar fazendo piadas sobre peidos juntos! Às vezes eu trabalho com pessoas e a gente nem música faz! Nós acabamos cozinhando juntos, tipo ficamos uma semana de boa e aí, no último dia, pensamos em alguma ideia de música – o que geralmente dá certo! 

 

PP: Então você não limita sua criatividade só pra música, é isso?

Benny: Eu na verdade queria ser chef de cozinha antes de ser músico! Agora é tudo meio doido, porque eu atuo em uma série aqui nos Estados Unidos, tenho o meu próprio programa de cozinha e tipo, eu sempre tento me manter ocupado com coisas que me inspiram. Fazer a mesma coisa todo dia não é algo que faz sentido pra mim, entende?

 

PP: Até demais! E Benny, eu li que você é extremamente tímido e não gosta da ideia de “ser famoso”, como você equilibra isso com o seu trabalho? Ainda mais agora que as pessoas te reconhecem mais frequentemente…

Benny: Ah cara [risos]… É engraçado porque tipo, eu amo demais os meus fãs, mas sabe quando você está em algum lugar público e você é pego de surpresa pela presença de alguém? Mesmo que seja um amigo? Quando a pessoa te encontra e você não estava preparado pra isso? É como eu me sinto! Eu fico muito sem graça! Eu sei que poderia ser pior [risos]… Eu só gosto de ser o centro das atenções quando estou com os meus três melhores amigos [risos]! Mas acho que tudo isso faz parte do trabalho, então não posso reclamar. 

 

PP: Você deve estar odiando essa leva de entrevistas que você vem fazendo para divulgar o single então, né? Um monte de jornalista te perguntando, muito provavelmente, as mesmas coisas sem parar… Pode ser honesto! 

Benny: Você é a minha favorita até agora, então pode ficar tranquila [risos].

 

PP: Vou fingir que acredito, mas obrigada [risos]! Falando um pouco sobre como você produziu muitos hits no passado como I Kissed a Girl, TiKToK, Circus, entre outras, muitas dessas músicas do passado – que na minha opinião, marcaram uma geração -, estão voltando à tona com o TikTok, por exemplo. Como você enxerga essa volta dos hits? Ainda mais com a nova geração provavelmente experienciando essas músicas pela primeira vez agora – o que é muito doido falar em voz alta, não vou mentir! 

Benny: Nem me fale! É muito engraçado porque assim, eu tenho o meu TikTok né? E muitos trends são com músicas que eu fiz e eu posto vídeos falando isso e as crianças surtam! É doido porque você nunca sabe quais músicas vão movimentar a cultura, entende? Algumas músicas eu fiz há 10, 15 anos atrás e por eu estar no meio disso, muitas vezes você acaba nem enxergando o impacto. Eu não sei… Eu sempre estou me beliscando e tentando acreditar que essa é de fato a minha vida! 

 

PP: Deve ser muito doido! E essas novas tecnologias também estão abrindo portas para novos produtores e compositores, você consegue se imaginar no lugar deles se não tivesse a carreira que tem hoje em dia?

Benny: Hoje em dia há tem tantas maneiras de se expor, quando eu comecei não tinha nada! Não tinha Facebook, MySpace… O YouTube não existia até eu estar no último ano do colegial pra você ter noção! A galera tem que se jogar nessas novas oportunidades! 

PP: Se você tivesse que recomendar 3 discos/artistas para essa galera que está tentando começar na indústria da música, quais você recomendaria?

Benny: Prince. Toda a discografia do Prince. Timberland e The Neptunes também, só pra você conseguir ter uma visão dos dois extremos do espectro. 

 

View this post on Instagram

 

A post shared by @itsbennyblanco

PP: Como essa pandemia tem te afetado artisticamente? Já que o seu trabalho é sempre em conjunto com outros criativos? Eu vi que você é um pai “stay at home” agora, então acho que pessoalmente a pandemia te ajudou a administrar o tempo com outras coisas também, né [risos]… 

Benny: Eu continuo fazendo as minhas coisas na verdade. Eu sou como uma senhorinha [risos]! Eu faço minhas caminhadas, tomo os meus chás, faço as minhas músicas, assisto vídeos de receitas… Também fico muito no TikTok! Você tem que me seguir no Tiktok! 

PP: Eu preciso! Não sei por que eu não te sigo ainda! 

Benny: Mas eu posto umas coisas meio loucas, vale avisar… Tipo, muito ruins… 

PP: Ah, fala sério… O que você posta é mais nível TikTok ou Vine?

Benny: Eu sou doido! Eu meio que criei a minha própria linguagem de vídeos curtos [risos], são vídeos de piadas de bunda e peidos o tempo todo… É bem rude, na real [risos]! Esse cara que você está vendo aqui é bem mais educado e legal do que você conhece por lá [risos]!

PP: Acho que eu não quero te seguir mais então, viu [risos]!

Benny: Eu sei! 

PP: Eu vou dar uma olhada antes e aí decido se eu te sigo ou não, pode ser?

Benny: Fazer o que… Combinado [risos]!

 

PP: Mudando um pouco de assunto, qual a sua relação com o Brasil? Você já veio pra cá?

Benny: É tão engraçado porque eu nunca fui para o Brasil, mas um dos meus primeiros mentores era muito conectado com a música brasileira e trabalhava com muitos artistas do Brasil, então isso gerou muita influência em mim. Hoje em dia eu gosto muito de funk e especialmente essa criança nova que é boa demais! Você já ouviu “Amor ou Litrão”? Eu esqueci o nome dos cantores, mas eu os sigo no Instagram e sou obcecado pelos vídeos do mais novo! Você já ouviu? Tava em primeiro lugar nas paradas brasileiras eu acho…

PP: Sim! Gosto demais que você conhece o funk brasileiro! Isso é incrível! 

Benny: Minha música é muito baseada em bateria e ritmos, então tem muito da música latina no que eu faço que pega os norte americanos desprevenidos. 

PP: Você conhece algum artista brasileiro que tem vontade de colaborar?

Benny: MC Bin Laden e a criança do “Amor ou Litrão” [Menor Nico]…

PP: Eu sigo inconformada com o seu conhecimento em relação ao funk brasileiro, de verdade! Eu apresento o funk brasileiro para artistas nessas entrevistas mais do que você imagina! Então é muito revigorante ter um artista que fala sobre o MC Bin Laden ou sobre “Amor ou Litrão” [risos]!

Benny: Nossa! Eu sempre usei muito do funk nas minhas músicas, por exemplo nas faixas pop, usei batidas do funk para fazer “Circus” da Britney Spears! Eu amo a energia do funk, amo como sempre parece uma festa! 

PP: Isso é incrível! Uau! E conta pra gente sobre o que podemos esperar do Benny Blanco no futuro? Quais são seus planos? 

Benny: Vou lançar um álbum novo muito em breve! Ah e também estou trabalhando em um projeto secreto que não posso falar muito a respeito, mas sei que vocês vão amar! Tá ficando incrível!

***

Ouça “You” do Benny Blanco nas plataformas:

Spotify | Deezer | Apple Music

Comentários

Topo