Menu Papel POP
Filme ainda não tem previsão de estreia no Brasil (Foto: Divulgação/FX)

Courtney Love, Shirley Manson, Hayley Williams… celebridades reagem a documentário sobre Britney Spears

Na última sexta-feira (05) a série documental “Framing Britney Spears” estreou na plataforma Hulu. O projeto promove um resgate dos antecedentes que formam parte de um conturbado cenário, responsável por afetar a liberdade e a saúde mental da artista. Produzido pelo The New York Times em parceria com o canal FX, o filme lança luz sobre temas como assédio midiático, críticas e pressão familiar.

Com a repercussão, vários famosos usaram as redes sociais para reagir ao caso, enviando mensagens de apoio ou ainda formando parte da campanha #FreeBritney. Esta última, uma espécie de levante virtual criado por fãs, busca reivindicar os direitos da cantora.

“Obrigada, The New York Times, você fez o que podia”, escreveu a ex-líder do Hole e ícone rock, Courtney Love. “Nós sentimos muito, Britney”.

Também no Twitter, Hayley Williams comentou: “O documentário ‘Framing Britney Spears’, p*ta m*rda. Nenhuma artista atualmente deveria suportar a literal tortura que a mídia/sociedade/absolutos misóginos infligiram a ela. A conversa sobre consciência de saúde mental, culturalmente, nunca poderia estar onde está sem o preço terrível que ela pagou”.

Sam Smith, por sua vez, citou o tweet de Hayley em concordância.

A cantora Shirley Manson, vocalista da banda Garbage, também se manifestou. “Acabei de assistir ao documentário ‘Framing Britney Spears’ e tenho que dizer, tem algo muito estranho, muito errado acontecendo”.

Frontman do Years and Years, o ator e cantor Olly Alexander foi mais suscinto declarando amor à artista.

No Instagram, a vencedora do Grammy Kacey Musgraves disse que “uma pessoa nunca foi tão usada e abandonada por todas as pessoas ao seu redor”, referindo-se a Britney. “Meu coração está com ela. Ela sempre foi uma inspiração para mim em toda a minha vida de criança/adolescente. Gostaria que ela pudesse refazer”.

Vanessa Carlton também se pronunciou e publicou uma série de tuítes sobre o filme. “Estou chocada. Este é um uso sem precedentes desse procedimento, já que ela não só está em bom juízo, mas também trabalha pra caramba. Ambos podem ser comprovados. A parte mais reveladora do doutor foi a citação de seu irmão”.

Ela continuou: “As mulheres nesta família são muito fortes. Este caso deve ser levado à atenção de um juiz novamente e imediatamente, com o apoio da sociedade (…) Caro patriarcado, está tudo bem! As mulheres podem raspar a cabeça. Queridos paparazzi, é ok bater no seu carro com um guarda-chuva quando você está perseguindo uma mãe que acabou de perder a custódia dos filhos para o pai. Eu teria feito o mesmo”.

Outras artistas como Sarah Jessica Parker, Hayley Kiyoko e Bette Midler também se manifestaram, através da hashtag #FreeBritney.

A situação é complexa. Desde 2008, Britney Spears, uma das maiores artistas da pop music, vive sob a tutela legal do pai, Jamie. Com o estabelecimento da decisão judicial, ele passou a exercer uma espécie de poder moderador sobre suas atividades pessoais, bem como controlar finanças e projetos profissionais.

Em 2020, quase 13 anos após o colapso emocional que a colocou sob vigilância constante, a cantora solicitou junto à corte a suspensão do controle total de Jamie. Em comum acordo com os advogados, ela sugeriu, inclusive, uma nova tutora e a remoção do pai do posto de curador de seu patrimônio. A juíza de Los Angeles, que supervisiona o caso, recusou a petição.

“Minha cliente me informou que tem medo de seu pai”, disse Samuel Ingham 3º, advogado indicado pelo tribunal para representar Spears, à juíza, segundo a agência de notícias Associated Press. “Ela não voltará a se apresentar ao vivo se o pai dela estiver no controle de sua carreira. Estamos em uma verdadeira encruzilhada”.

“Framing Britney Spears” ainda não tem previsão de estreia no Brasil.

Comentários

Topo