Menu Papel POP
Obra também foi publicada em italiano (Foto: Divulgação)

Ícone da MPB, Tom Zé ganha a primeira biografia da carreira

MAIS SOBRE:

Há quem diga que ele tenha sido o último tropicalista, mas Tom Zé, sem dúvida, é mais que isso. Nome ímpar da MPB, esse “senhor, cidadão” cria e explora a arte das maneiras mais enigmáticas e ousadas possíveis. Para desvendar os caminhos que trilhou desde seu nascimento, em 1936 na pequena Irará, na Bahia, o jornalista italiano Pietro Scaramuzzo, que também se dedica à pesquisa da música brasileira, escreveu a primeira biografia oficial do músico.

Disponível no formato e-book e, mais recentemente, físico, “Tom Zé: o último tropicalista” chega às lojas pela respeitada editora Sesc em uma edição fabulosa, que apresenta não apenas um retrato detalhado de sua trajetória, como também imagens representativas de algumas de suas principais fases.

Do ostracismo que viveu entre os anos 1970 até 1980, à redescoberta de suas canções, movimento que o cantor viu surgir na década seguinte, o projeto ainda brinda o leitor como uma cronologia da discografia de Zé e um arrebatador prefácio de David Byrne, lenda do rock e ex-líder dos Talking Heads. Também parceiro de Caetano Veloso, Byrne foi um dos responsáveis por catapultar a carreira do colega baiano no exterior.

O livro, vale lembrar, pode ser adquirido nas principais livrarias do país, ou ainda na página do Sesc.

O artista

Nascido Antônio José Santana Martins, Tom Zé, além de cantor, assume as funções de compositor, arranjador e instrumentista. Dono de um som experimental, cheio de ritmos e uma ampla curadoria sonora, começou a carreira ainda nos anos 1960 com foco em uma mistura crua de violão, canto e composição.

A discografia, vale sempre lembrar, está disponível no streaming. A fim de uma experiência multissensorial? Dê play enquanto caminha a leitura!

Spotify | Deezer | Apple Music

Comentários

Topo