Menu Papel POP
Billie é a artista mais jovem a gravar uma música para a franquia 007 (Reprodução)

Billie Eilish diz que reações do público para ”No Time To Die” representaram um “período difícil”

Billie Eilish relembrou a reação inicial mista entre os fãs de James Bond ao anúncio de que cantaria a música tema de “No Time To Die” , descrevendo-o como “um período difícil”. Os produtores do próximo filme, que agora deve ser lançado em abril de 2021, após uma série de atrasos forçados pelo coronavírus, confirmaram em janeiro deste ano que Eilish foi selecionada para gravar a música oficial [via NME].

Eilish, que é a artista mais jovem na história da franquia de filmes de espionagem a gravar uma música de Bond, disse que o tempo entre o anúncio inicial e o lançamento real da música, que foi recebido com aclamação universal, não foi algo tão fácil de lidar, mas que ela compreende:

 

“Não fiquei brava com isso porque entendo”, disse ela sobre a reação dos fãs. “Por que as pessoas não teriam desejos e expectativas pela música que é o tema de sua franquia favorita? Isso é totalmente compreensível.”

 

Seu irmão Finneas,  que co-escreveu a música, disse à Variety que o momento do anúncio foi, em sua opinião, “duplamente arriscado, porque então [o público está] apenas julgando seus preconceitos sobre um artista, ao invés de realmente julgar o trabalho na mão.” O anúncio foi feito antes da música em si ser oficialmente lançada em 13 de fevereiro.

 

Relembre a bela e profunda canção “No Time To Die”:

 

Hans Zimmer, que organizou a orquestração de ‘No Time To Die’, comparou a reação inicial à notícia de Eilish cantando, com Christopher Nolan escalando o falecido Heath Ledger em ”Batman: O Cavaleiro das Trevas” (2008):

“Lembro-me de quando Chris Nolan anunciou Heath Ledger como o Coringa. E o mundo na internet enlouqueceu dizendo: ‘Que decisão terrível. Esse cara não pode atuar. A pior decisão que já ouvi. ‘ E então Heath os surpreendeu, é claro – disse Zimmer. “É a mesma coisa [com Eilish]. É como, olhe, nós não tomamos decisões aleatórias. Quero dizer, havia [algumas] pessoas muito inteligentes envolvidas que não só têm ouvidos, mas podem sentir algo. Para mim, foi a coisa mais simples. Eu ouvi a música [‘No Time To Die’] e pensei: ‘Não quero ouvir mais nada. É isso aí.”

Comentários

Topo