Menu Papel POP
Especial de fim de ano mistura realidade com ficção com muito humor (Reprodução)

“2020 Nunca Mais”: Produtores contam que mockumentário foi feito para exorcizar o ano de 2020

Já viu? No último domingo (27), a Netflix lançou seu mais novo mockumentário: “2020 Nunca Mais”. A obra, que foi feita pelos mesmos produtores de Black Mirror, fez uma retrospectiva do ano misturando realidade com ficção. Em entrevista ao THR, os criadores disseram que a intenção era dar ao público uma espécie de exorcismo do ano.

Desenvolvido em julho por Annabel Jones e Charlie Brooker, o mockmentário não pertence ao universo de “Black Mirror”, apesar de dar essa impressão. A produção reuniu os principais acontecimentos do ano, em especial nos Estados Unidos, com cenas e entrevistas fictícias permeando trechos verdadeiros de telejornais. O resultado foi um longo vídeo de 70 minutos carregado de humor ácido, que segundo Annabel, carrega um alívio cômico que as pessoas precisam agora.

A produção apresenta comentários de locutores fictícios que representam arquétipos familiares de 2020. Esses “especialistas” são interpretados por Samuel L. Jackson (um repórter), Hugh Grant (um professor de história), Kumail Nanjiani (um CEO de tecnologia), Tracey Ullman (Rainha Elizabeth II), Samson Kayo (um cientista), Lisa Kudrow (uma porta-voz conservadora), Diane Morgan (uma cidadã comum), Leslie Jones (uma psicóloga comportamental), Cristin Milioti (uma mãe conservadora) e Joe Keery (um jovem coach que trabalha produzindo conteúdo).

“As pessoas disseram que este ano parecia um episódio de “Black Mirror”. Obviamente, é um ano muito perturbador e caótico, e não tenho certeza se teríamos o apetite pessoal de fazer um “Black Mirror” enquanto tudo isso estava acontecendo. Pessoalmente, todos os programas que assisti foram saudáveis, inocentes ou engraçados. As pessoas definitivamente precisam de um alívio, e espero que o que o “2020 Nunca Mais” faça – especialmente agora com a esperança da vacina – seja dar às pessoas uma espécie de exorcismo catártico do ano que foi 2020. Para olhar para trás e reconhecer o absurdo e o caos e o horror de tudo, mas sendo capaz de rir um pouco pensando: ‘Acabou'”, disse.

Os atores filmaram suas cenas separadamente, com locações divididas entre Londres e Los Angeles em meio a uma filmagem de 10 dias no final de novembro para entregar as tomadas com falas mais atuais. Brooker e Jones executaram tudo remotamente via Zoom. Confira o trailer:

Comentários

Topo