Menu Papel POP

Entrevista: Mabel fala sobre o single “Tick Tock” com Clean Bandit, criatividade em tempos de pandemia e vontade de conhecer o Brasil

Clean Bandit está de volta e em boa companhia! Isso mesmo, depois de dois anos sem nenhum lançamento, o grupo de música eletrônica está de volta com o single “Tick Tock” em parceria com ninguém menos do que a queridinha do pop britânico: Mabel. Tivemos a chance de bater um papo com a cantora e perguntar sobre a experiência de fazer parte do comeback da banda, da qual ela diz ser fã, além de perguntar mais sobre os outros lançamentos deste ano. Não ouviu o novo single ainda? Vem cá, ó:

 

O ano de 2020 fez com que Mabel se aventurasse ainda mais musicalmente, já que muito dos planos dela – como ser o show de abertura para a turnê do Harry Styles na Europa – foram cancelados. Prova disso foi o lançamento da versão acústica do primeiro álbum, “High Expectations”, que a artista gravou e lançou durante a quarentena como forma de comemorar um ano da divulgação do material original e também de alegrar e confortar os fãs durante o período da pandemia. “[‘High Expectations’] Foi um álbum tão pessoal pra mim e eu sinto que às vezes, por mais que eu ame tanto a produção, é bom tirar as coisas de volta para que as pessoas possam realmente entender as letras e o vocal. Então pareceu uma coisa legal de se fazer!”, acrescentou Mabel.

A nossa conversa na íntegra com a divertida e carismática Mabel sobre criatividade em tempos de pandemia, colaboração dos sonhos, vontade de conhecer o Brasil e mais, você confere abaixo.

PAPELPOP: Em primeiro lugar, parabéns pelo single! “Tick Tock” é uma música ótima e a primeira que ouvimos do Clean Bandit em quê? Dois anos? Como foi fazer parte do retorno deles com essa música?

Mabel: É uma honra e eu sou muito fã deles! Obviamente você sabe que eles fazem músicas incríveis e, alguns anos atrás, eu me lembro de ter ficado “Ai, eu realmente quero fazer algo com Clean Bandit”, então foi incrível nos reunirmos e criarmos essa música. É tão especial!

 

E o que acho mais interessante nessa música é que ela realmente parece um mashup perfeito entre vocês! O equilíbrio entre o estilo musical de Clean Bandit e o seu é muito bem desenvolvido e equilibrado nessa faixa. Como foi esse processo?

Com a minha composição, eu diria que sou sempre muito inflexível! Faço o possível e o impossível para manter meu estilo de composição e minha voz muito minha! E eu senti que, quando entramos no estúdio, isso ficou bem claro e porque garantimos que foi tudo bem 50/50, então é natural que o resultado tenha ficado definitivamente como um pouco deles e um pouco de mim.

Existe algum outro artista com quem você gostaria de colaborar? 

O Pharrell! Ele é um produtor incrível que está no topo da minha lista e eu adoraria fazer música com ele. Sou fã desde criança, na verdade! Ele é definitivamente uma pessoa importante na minha lista de colaborações dos sonhos.

 

E “Tick Tock” não é seu único lançamento musical deste ano, porque você também lançou uma bela versão acústica do seu primeiro álbum,  “High Expectations”, um ano depois do lançamento. Como isso aconteceu? 

Aconteceu que eu obviamente estava em casa e, sabe, eu gosto muito de ter projetos! Tinha terminado todos os trabalhos relacionados ao “High Expectations” no início do ano, um pouco antes do lockdown começar e aí, obviamente, o ano mudou drasticamente por causa da pandemia e eu pensei que talvez houvesse mais uma coisa que poderíamos fazer no aniversário de um ano do álbum. Foi um álbum tão pessoal pra mim e eu sinto que, às vezes, por mais que eu ame tanto a produção, é bom tirar as coisas de volta para que as pessoas possam realmente entender as letras e o vocal. Então pareceu uma coisa legal de se fazer! Eu gravei minhas partes de casa e minha banda alterou essas partes da casa deles e foi apenas um bom projeto para manter todos nós juntos, mesmos que fisicamente distantes, e dar aos fãs algo a mais! Meu trabalho como artista é fazer as pessoas se sentirem bem e eu acho que tem sido difícil para todos, então eu estou apenas tentando colocar sorrisos nos rostos dos meus fãs!

 

E como tem sido esse ano para você? Como isso está afetando você criativamente?

Demorei um pouco para se ajustar no início, porque normalmente estou sempre muito ocupada, mas, vendo pelo lado positivo, passei muito tempo com minha família, o que foi ótimo. Minha família é o meu coração e meu espírito. Acho que, criativamente, tudo isso também me deu muito tempo para refletir – tipo, eu não sei se a versão acústica de “High Expectations” teria sido lançada se não fosse tudo isso que está acontecendo no mundo. Sinto que tive mais tempo que o normal para pensar sobre meu segundo álbum, como eu quero que ele soe e qual história que eu quero contar. Acho que isso é muito bom como artista, porque às vezes é como se estivéssemos constantemente correndo e ter um momento para apenas parar e realmente pensar e refletir sobre o futuro e qual tipo de artista eu quero continuar a ser é ótimo!

 

É muito cedo para eu perguntar sobre um segundo álbum? Podemos esperar mais lançamentos em breve? 

Estou sempre fazendo música! Me sinto bem confiante em dizer que fiz algumas das minhas melhores músicas nos últimos nove meses e realmente me descobri como artista e encontrei minha voz e minha confiança de uma maneira diferente. Eu mal posso esperar para que as pessoas ouçam as músicas novas e vejam essa progressão.

 

Agora fiquei ansiosa! E então eu não acho que você fica necessariamente nervosa em lançar músicas novas depois de ter um álbum de estreia tão bem sucedido, né? 

Ai, eu fico um pouco sim! Eu sempre quero ver todo mundo contente com as coisas que eu faço! E as pessoas sempre vão ter opiniões diferentes, tipo, tem aqueles que amam a Mabel de “Finders Keepers”, assim como as que amam “Don’t Call Me Up”… Eu realmente sinto que estou indo para outro lugar agora e isso dá um certo frio na barriga [risos]. Mas, como artista, acho que é porque queremos fazer as pessoas felizes. No final do dia, eu acho que os meus fãs verdadeiros ficam felizes com qualquer lançamento que me faz sentir completa! 

 

E eu espero que isso não seja aleatório demais, mas eu vi um show seu ano passado na Inglaterra e me diverti muito! Então o que se apresentar significa para você e como você está lidando com as restrições de shows hoje em dia? Porque, assim, você literalmente se apresentou para uma multidão no início do ano no Brit Awards e, recentemente, para uma multidão vazia no The Voice Kids, né? Como é isso pra você?

[Risos] Meu Deus, sim! Me apresentar ao vivo é definitivamente a coisa da qual eu mais sinto falta! Eu sinto que me adaptei muito bem a todo o resto que a pandemia tirou de nós, a exceção foi realmente me apresentar, fazer shows para os meus fãs… No final do dia, não me importo com os números de streams que tenho numa música ou quantas visualizações tenho no meu clipe, porque tudo isso não se compara à emoção de cantar para uma plateia e sentir toda aquela energia! Eu sinto uma gratidão quando me apresento que é quase uma meditação pra mim! Então é… muita saudade de como o mundo era há pouco tempo… 

 

Podemos te esperar no Brasil para um show no futuro? 

Sim, por favor! Eu estou definitivamente desesperada para ir para a América do Sul! As pessoas sempre me dizem que eu pareço ser brasileira [risos]! Então eu estou muito pronta pra conhecer tudo e talvez até aprender português! 

Pode deixar que a gente te ensina! 

Ah, combinado então! [Risos] 

E Mabel, minha última pergunta é para você descrever sua música em três palavras!

Eu diria comovente, enérgica e pop – eu sinto que as pessoas dizem que, às vezes, pop parece uma coisa negativa, mas eu acho que a música pop é incrível e ela pode ser o que for! 

 

E você faz música pop muito bem, viu? [Risos]

[Risos] Eu vou ter que concordar com você nessa! 

***

Ouça mais da Mabel nas plataformas:

Spotify | Deezer | Apple Music

Comentários

Topo