Menu Papel POP
Artista gaúcha prepara segundo álbum de estúdio (Foto: Divulgação/Livia Rodrigues)

Duda Brack e Ney Matogrosso expurgam dramas no clipe avassalador de “Toma Essa”

MAIS SOBRE:

Não há nada parecido com a sensação de se livrar de um relacionamento natimorto, abusivo, fadado ao fracasso. Duda Brack, promessa da música popular brasileira, lançou nesta quarta-feira (4) o single “Toma Essa” (Alá/Altafonte), uma demonstração audiovisual desse expurgo.

Com uma letra carregada de auto emancipação e ode ao prazer feminino, o projeto dá seguimento aos ambiciosos planos contidos em seu segundo álbum de estúdio, previsto ainda para 2021.

No clipe, gravado em formato de curta-metragem, ela acrescenta à narrativa um outro grau de densidade convidar dois nomes bastante conhecidos: além do ator Gabriel Leone, aqui seu algoz, o lendário Ney Matogrosso surge como uma espécie de padrinho, uma entidade protetora.

É ao seu lado e atenta aos sinais que, devastadora, ela encarna uma performer atormentada pelo passado. Na pista e a fim de retificar o amor que guarda em si, alinha elementos da cultura pop, como o voguing, em um desejo de mergulhar no que há de mais glamouroso da estética cabaré. Só assim consegue realizar seu desejo pleno de liberdade.

Mas é preciso assistir com atenção. Há easter eggs espalhados pela obra, entre eles uma rápida inserção de Caetano Veloso, que soa pelos autofalantes cantando “Deusa Urbana”, e os próprios figurinos. O de Ney, por exemplo, é o mesmo usado no show que fez em 1985 no primeiro Rock in Rio.

Com atitude de ícone pop, a artista também respeita sua inserção na música brasileira, empregando neste trabalho sons tipicamente nacionais como o pagodão baiano, o funk e o maculelê.

Se você gostou, saiba: “Toma Essa”, novo single de Duda Brack, está disponível no streaming. Conheça mais do trabalho da cantora visitando seus perfis nas plataformas.

Spotify | Deezer | Apple Music

Comentários

Topo