Menu Papel POP
Diogo Piçarra em imagem promocional (Divulgação)

Diogo Piçarra fala ao Papelpop sobre parceria com Vitor Kley, The Voice Portugal e próximo álbum

Na última quarta-feira (05), o cantor português Diogo Piçarra lançou a música “Nada É Para Sempre”, parceria com Vitor Kley. A faixa fala de um relacionamento que acaba e já chega com clipe gravado em Lisboa.

Em entrevista ao Papelpop, Diogo contou que o conceito para o vídeo foi criado por ele e por Filipe Correa, o diretor, para ser seguro de gravar durante a pandemia de Covid-19, mas que trouxesse um pouco de alegria para o tema mais triste da letra. “Fomos buscar esse conceito de que, quando somos rejeitados, nos sentimos minúsculos e, quando gostamos de alguém e a pessoa corresponde, somos gigantes,” diz ele.

A parceria dele com Vitor Kley começou de uma maneira inusitada: o cantor brasileiro disse, em uma entrevista, que gostaria de colaborar com Piçarra, o qual ficou sabendo e o feat. rolou. Quando perguntamos com qual artista ele ainda quer colaborar, Diogo citou vários grandes nomes do pop, como Justin Bieber, Ed Sheeran, Drake e The Weeknd.

Mas, falando em colaboração, o artista já cantou uma versão especial de “Trevo (Tu)” com a dupla brasileira Anavitória e já compôs para Ivete Sangalo, Anitta, Vitão e Jão. Ao falar sobre a parceria com o duo, Diogo ressaltou a naturalidade da relação que conseguiu construir com elas, mesmo após poucos momentos juntos. “A primeira vez que eu tive com elas foi no dia da gravação desse clipe e ficou lindíssimo. Deu para perceber a boa onda que elas têm. Assim que cheguei, estava maquiado, vestido, vi-as sentadas no chão: ‘Vem aqui, Diogo, vamos tirar foto’. Nem sabia quem eram e puseram uma vontade e deu para perceber bem o quão amorosas elas são.”

O álbum mais recente do cantor é “South Side Boy”, do final de 2019. São 10 faixas com pegada mais dark do que os trabalhos anteriores dele, mas Piçarra afirma que essa fase ficou no passado. “O Diogo mais dark, esse tipo de produção mais eletrônica, fica naquele disco. Já estou a abrir um pouco do que virá com essa com o Vitor Kley, com a guitarra, com um beat um pouquinho mais pra frente, mais alegre. E acho que podem esperar um Diogo nesta vibe que comecei agora com ‘Nada É Para Sempre’.”

Apesar disso, um novo álbum ainda não está nos planos. O artista revelou que só pensa em disco depois de ter, pelo menos, 20 músicas boas prontas. Por enquanto, ele vai ficar produzindo e soltando novas faixas sem pensar necessariamente em compilá-las.

Diogo também é jurado do The Voice Portugal, que dá início à fase das batalhas no próximo domingo (08). Além dele, participam como técnicos Aurea, Marisa Liz e António Zambujo. No início da carreira, em 2012, Piçarra ganhou o programa Ídolos e, por isso, ele conta que é muito satisfatório estar agora na posição oposta. “É uma experiência linda, acima de tudo porque eu vim de um programa de talentos e, por isso, sei exatamente como é estar em cima daquele palco.”

“Agora, sendo jurado, estou tendo a experiência, mas do outro lado e é também um ótimo sinal de conhecimento, estou ao lado de cantores enormes em Portugal e faz com que meu trabalho seja reconhecido e ouvido,” completa.

Ainda sobre o programa, o cantor comentou que as gravações foram feitas em uma época na qual o país estava com poucos casos de coronavírus, mas as fases ao vivo irão começar nas próximas semanas e, por isso, algumas alterações deverão ser feitas. “As gravações sempre foram em segurança: o público reduzido, sempre de máscara, as cadeiras já são afastadas no The Voice e sempre tentamos manter essa distância. Se a situação estiver assim cada vez pior, teremos que fazer algumas mudanças,” explica.

Por conta da pandemia, Diogo não tem feito tantos shows quanto antigamente, mas ele contou que algumas apresentações com distanciamento e segurança foram bem-sucedidas e é necessário ação do governo português para que mais delas aconteçam. O cantor também afirmou estar animado para retornar ao Brasil quando for possível.

Mas a mudança na carreira não a foi a única que veio em 2020 para ele. Em março, nasceu Penélope, filha de Piçarra com a namorada Melanie. “Ainda não sinto influência na música, só no sono (risos). No sono e na rotina,” brincou Diogo. “Nossas preocupações passaram a ser só ela e acho que é normal de um pai e de uma mãe, mas tem sido lindíssimo.”

No Instagram, o artista costuma postar várias fotos super fofas de Penélope, olha só:

 

Ver essa foto no Instagram

 

As minhas South Side Girls 🤘🖤

Uma publicação compartilhada por Diogo Piçarra (@diogopicarra) em

Em 2016, o cantor lançou o livro “Diogo Piçarra em Pessoa”, no qual reinterpreta poesias de três heterônimos de Fernando Pessoa. Para isso, ele usa os próprios “personsagens”: Luna Thea, Walter Ego e Ingenuo Garcia. Dois anos depois, ele fez a mesma coisa com Luís de Camões em “Os Tvgas”. A ideia da coleção é apresentar de uma maneira mais atual grandes nomes da literatura portuguesa a alunos do ensino fundamental. “Agora não dá, mas, de vez em quando, eu ia às escolas, apresentava o livro e cantava duas músicas que fiz para esse livro,” conta ele.

E pode ser que tenhamos mais livros vindo por aí! Piçarra afirmou que não tem nenhum plano concreto, mas adoraria escrever as próprias histórias. “Eu adoraria escrever um romance só meu, mas esse é um projeto a longo prazo e tenho desejo também de fazer filmes, adoraria escrever uma série. Sempre fiz os meus próprios videoclipes e adoraria aproveitar essa experiência para um curta-metragem, um filme,” comenta.

Curtiu? Então siga Diogo Piçarra no seu streaming favorito:

Spotify | Deezer | Apple Music

Comentários

Topo