Menu Papel POP
Artista comemora 30 anos de carreira em 2020.

Faixa a faixa: Fernanda Abreu comenta as músicas de “Slow Dance”, nova coletânea de baladas

É verdade que a pandemia virou de cabeça pra baixo os planos de comemoração dos 30 anos de carreira de Fernanda Abreu, completados em 2020. Virginiana que só, a musa sangue bom tem driblado os obstáculos e colocado em prática uma série de projetos que vão além dos palcos, inacessíveis no momento.

Nesta quinta-feira (17), por exemplo, ela lança “Slow Dance”, uma coletânea repleta de baladas românticas que dão um panorama do viés apaixonado que de seu catálogo. “Nessa quarentena comecei a ouvir de novo músicas do meu repertorio que não escutava há muitos anos e fiquei feliz”, conta. “Feliz em sentir que as músicas ainda têm um frescor. Feliz com os arranjos caprichados e com as atmosferas e texturas tão particulares de cada uma”.

Aqui o público é convidado a desacelerar ao som de 17 canções que fizeram história na pista de dança, embalando casais em uma frequência suave. Dos 7 álbuns de estúdio já lançados, há destaque para entre outras músicas “Um Amor Um Lugar”, “Paisagem de Amor” e “Luxo Pesado”, um clássico em que Fernanda encarna uma personagem hedonista, video stripper, taxi dancer.

“É uma versão de ‘Got To Be Real’, um clássico da Disco Music”, diz. “Como meu primeiro álbum é cheio de referências da disco, ela se encaixou bem no repertório. Como não queria fazer um cover, telefonei pro Fausto Fawcett e pedi que ele fizesse uma versão em português. Porém ele, com sua mente brilhante, criou essa personagem.

Neste faixa a faixa exclusivo, ela comenta cada uma das canções, entre elas a inédita “Dance Dance”, nunca antes gravada em estúdio.

Recentemente, Fernanda Abreu falou com o Papelpop sobre os 30 anos do disco “Sla Radical Dance Disco Club”, considerado um marco na música pop brasileira. “Slow Dance”, a nova coletânea da artista, está disponível no streaming. Ouça na sua plataforma favorita:

Spotify | Deezer | Apple Music

 

Comentários

Topo