Menu Papel POP

Falamos com Ally Brooke sobre lançamento do primeiro livro e sucesso do single “500 Veces”

MAIS SOBRE:

A cantora Ally Brooke lançou no último mês de julho o single “500 Veces”, uma parceria caliente com o rapper Messiah, que tem sido considerado um dos grandes nomes atuais do trap latino. A faixa é uma das novidades que Ally tem lançado nos últimos meses e vem pra se somar a outros sucessos como”Low Key”, colaboração com Tyga que foi sucesso em 2019.

Além da música, Ally também tem preparado um livro de memórias, em que fala sobre momentos de superação e o papel da fé em sua vida profissional e pessoal. Chamado “Finding Your Harmony” (ainda sem tradução e editora no Brasil), o livro é também uma nova forma de aproximação da artista com os fãs. “O que eu não posso compartilhar nas redes sociais ou numa entrevista está sendo compartilhado no livro” conta Ally.

A entrevista com a artista, feita em vídeo, você confere abaixo.

PAPELPOP – O que significa pra você ter tido a chance de cantar em espanhol também, como em “500 Veces”?

ALLY BROOKE – Bom, eu sou latina, de origem mexicano-americana. Estou muito feliz em poder mostrar minhas raízes, minha herança e ter ourgulho disso. E é lindo que “500 Veces” seja em spanglish, como se chama esse mix de espanhol e inglês. Tem sido um sonho. Estou muito feliz que as pessoas estão amando, com 10 milhões de views no YouTube e os streams crescem. Isso é incrível, especialmente porque sou eu mostrando quem sou. Minha autenticidade como artista. É belo. Além disso, Messiah é outro artista incrível, então estou muito orgulhosa. Obrigada a quem está apoiando!

E este parece um momento muito especial de sua carreira, né? Você sente uma diferença entre como você se vê e como quer que os outros te vejam como artista?

Sim! Meu deus, é pra além de especial estar onde estou hoje. Passei por muita coisa e trabalhei duro pra estar onde estou. Atribuo isso a minha fé, a Deus, aos meus fãs e família, que me apoiam desde lá no início. Tem sido um prazer e um presente poder fazer isso. O que quero que as pessoas saibam sobre mim é minha paixão como entertainer e artista, mas também apenas como uma pessoa. Amo ter a chance de acordar todos os dias, conversar com pessoas como aqui com você e cantar. Criar e viver disso é um presente. É isso que quero que as pessoas saibam, porque tudo que faço é pelos meus fãs. Eles são o mundo pra mim, então obrigada por tudo!

Que especial saber disso! Chegar nesse lugar significa ter enfrentado muitas dificuldades, né? E eis uma palavra que representa muito o que o mundo tem vivido, especialmente pela pandemia. Você sente que tem tido uma intenção específica na mensagem do que tem criado?

Nossa, sim! Tenho tido a chance de apenas me expressar no jeito que eu quero e, em “500 Veces”, o clima é quente, de flerte e bem sexy! Hahaha é pra dançar e fico feliz que a canção tem feito as pessoas dançarem. É pra isso que serve a música. E amo poder fazer isso. Até nas minhas outras músicas, faço coisas parecidas, de tentar divulgar mensagens positivas. É o que tento fazer com minha música, ter mensagens e letras positivas pra sempre incentivar meus fãs a serem quem são. A melhor versão de si mesmos, viver a vida livremente sendo exatamente quem são.

Em outubro deste ano, você lança seu primeiro livro de memórias, o “Finding Your Harmony”, certo? Como tem sido escrever e compartilhar sobre si mesma pra além do que faz em entrevistas e posts nas redes sociais?

Uau, o que eu não posso compartilhar nas redes sociais ou numa entrevista está sendo compartilhado no livro. Uma entrevista pode significar muito pra alguém, mas só conta uma pequena porção da vida dessa pessoa. E nesse livro, estou sendo capaz de compartilhar tudo pela primeira vez, finalmente. Quem sou, de onde venho, meu passado, meus valores, minha família, como fui atrás dos meus sonhos quando era muito difícil. Até antes do Fifth Harmony, quando eu era mais nova, eu estive por aqui em Los Angeles por muitos anos, tentando dar certo e muitas pessoas talvez não saibam disso. Eu não seria quem sou hoje, nem teria dado certo no Fifth Harmony, sem essa experiência e preparo que esse tempo me trouxe. Passei por muita coisa nessa época e no Fifth Harmony, mas também enquanto virando uma artista solo e falo sobre tudo isso pela primeira vez. Não só sobre carreira, mas da vida pessoal também. As pessoas vão ficar surpresas com o quanto já vivi e superei, mas sou muito grata por onde estou hoje, me mantendo firme e de cabeça erguida pra viver todos meus sonhos. E é tudo por causa de minha fé e meus lindos fãs. É isso que quero que as pessoas realmente vejam nesse livro. Além de tudo, que as pessoas se inspirem a construir a própria fé. E que minha história possa mudar a vida delas, porque eu tenho uma história pra contar. E tenho muito orgulho dela. 

Muito massa! Sobre músicas novas, o que pode contar pra gente?

 Tenho estado no estúdio com muita gente! Em “500 Veces”, pude colaborar com Messiah pela segunda vez. Amo ele, porque tem um talento incrível e é uma pessoa maravilhosa. Gosto de estar com gente assim. Também amei colaborar com Afrojack, quem adorei por muito tempo. Fiquei feliz demais quando descobri que nossa música “All Night” pegou primeiro lugar no chart! Gosto de gente boa e pé no chão, que seja criativa e me entenda, o que quero compartilhar ou como quero dizer. Estou trabalhando no meu álbum e amo que eu possa lançar o que eu quiser, mas um dia quando o álbum chegar essas canções com certeza vão estar lá. Com outras também. Vocês vão ouvir tantas outras músicas! Mal posso esperar. Vai ser realmente um sonho realizado quando eu tiver lançado um álbum. 

Muito obrigado por esta conversa, Ally!

A todos meus fãs brasileiros, EU TE AMO e sinto mais saudade do que posso expressar, mas vamos voltar logo! Mantenham-se seguros!

***

Você também pode ouvir “500 Veces” nas plataformas de streaming.

Comentários

Topo