Menu Papel POP

Cole Sprouse revela que foi preso durante protesto antirracista nos Estados Unidos

Cole Sprouse, que interpreta o Jughead de “Riverdale“, revelou na última segunda-feira (1) que foi preso durante uma manifestação antirracista. De acordo o ator, ele foi detido em Santa Mônica, na Califórnia, depois que os policiais ordenaram que as pessoas se retirassem do protesto pacífico sob ameaça de prisão.

Pelo Instagram, o artista deixou claro que não pretende fazer mais comentários sobre o assunto: “Não falarei mais nada sobre isso porque (1) não sei o bastante no assunto para fazê-lo, (2) não sou o sujeito do movimento, (3) não tenho interesse em afastar os holofotes dos líderes do Black Lives Matter”.

Confira o relato na íntegra:

“Um grupo de manifestantes pacíficos, eu incluso, foi preso ontem [31 de maio] em Santa Mônica [Califórnia]. Então, antes que a horda faminta da mídia sensacionalista decida transformar isso em uma manchete sobre mim, vamos deixar as circunstâncias claras: Vidas Negras Importam. Paz, tumultos e saques são formas absolutamente legitimas de protesto. A mídia, naturalmente, só mostrará a parte mais impressionante, comprovando a agenda racista. Eu fui preso ao me juntar por solidariedade, assim como muitos membros da vanguarda de Santa Mônica. Nos deram a opção de partir e deixaram claro que, se não recuássemos, seríamos detidos. Quando muitos se viraram para sair, encontramos outra linha de policiais bloqueando o caminho e então, começaram a nos algemar com lacres. Precisa ser dito que, como um heterossexual branco e figura pública, as consequências do meu encarceramento não são nada comparadas às de outros membros deste movimento. Essa narrativa DEFINITIVAMENTE NÃO É sobre mim e eu espero que a mídia não a represente deste jeito. Este é, e sempre será, o momento de ficar perto dos outros enquanto a situação piora para mostrar apoio e fazer a coisa certa. Esse é o momento de contemplar o significado de ser um aliado. Espero que outros na minha posição façam o mesmo. Percebi que câmeras filmavam durante a operação que nos prendeu. Espero que elas ajudem [os outros]. Não falarei mais nada sobre isso porque (1) não sei o bastante no assunto para fazê-lo, (2) não sou o sujeito do movimento, (3) não tenho interesse em afastar os holofotes dos líderes do Black Lives Matter. Postarei novamente um link nos meus stories com um documento compreensível para doações e auxílio”

A onda de manifestações tomou conta de várias cidades dos Estados Unidos após o assassinato de George Floyd. O homem negro, de 46 anos, faleceu no último dia 25, quando um policial se ajoelhou sobre o pescoço dele por cerca de cinco minutos, até ele ficar inconsciente, na cidade de Minneapolis.

Comentários

Topo