Menu Papel POP

Para o UOL, Regina Casé diz que Lurdes é “um oásis de amor” em meio aos dias difíceis

MAIS SOBRE:

Verdade seja dita: por aqui estamos todos morrendo de saudade de “Amor de Mãe“, trama do horário nobre da Rede Globo. A gente sabe que você também e até a própria Regina Casé, que dá vida à protagonista Lurdes. Em entrevista neste domingo ao jornalista Maurício Stycer, colunista do UOL, Casé comentou o impacto da mãe de Domênico em sua vida.

Em pleno Dia das Mães, a atriz falou entre outras coisas sobre o impacto da personagem em sua vida, bem como sobre a importância que tem enquanto transmissora de mensagens positivas nestes dias difíceis.

“É muito difícil manifestar esse amor nesse momento. Eu também estava muito cética, para não dizer niilista. ‘Como vou expressar e mostrar algo bom pras pessoas quando tudo parece tão adverso?’. E a Lurdes me deu essa possibilidade. Eu já era apaixonada por ela como um personagem riquíssimo, mas mais do que dramaturgicamente ela aconteceu em um momento em que parecia ser tão amoroso, verdadeiro, real. A cara que eu tô, a minha voz, quando vejo acho um milagre. Tô morrendo de saudade e arrependida de não ter trazido minha bolsinha com a toalha”.

Casé também relembrou questões relativas aos tempos de apresentadora. Entre os anos de 2011 e 2017 ela esteve à frente do Esquenta!, programa que foi ao ar nas tardes de domingo na Rede Globo. Segundo a atriz, ter aceitado interpretar Lurdes fez com que ela finalmente fosse aceita e reconhecida pelo público.

“Eu tinha bilhões de haters como apresentadora com questões que a gente colocava e tal. A Lurdes tem 0,01 (hater). Ela é amada. E eu, na carona dela, passei a ser aceita de uma outra maneira. Isso é um milagre num momento onde ninguém, se ouve, ninguém se olha. Passaram a ver também a Regina. E a Regina, além da Lurdes, também tem coisas legais para falar que ela não podia, por tantos ruídos de comunicação.”

Regina também deixou uma mensagem poderosa para enfrentar o maior desafio de todos: o ódio.

“Quando ficar com ódio, com raiva, desespero, pensa na Lourdes e fala ‘Aonde eu vou achar um ponto de amor?'”.

Assista a entrevista completa:

Comentários

Topo