Menu Papel POP

Lana Del Rey se explica e fala sobre repercussão negativa de carta aberta

MAIS SOBRE:

A quinta-feira começou agitada com a publicação de uma longa carta de Lana Del Rey. Entre outras coisas a artista anunciou o lançamento de um novo álbum e rebateu acusações de que “romantizaria abusos” em suas músicas.

Em uma das falas ela mencionou nomes como Ariana Grande e Beyoncé e questionou: “Elas podem cantar sobre sexo, mas eu não posso cantar sobre meus relacionamentos?”.

Lana também disse que sua realidade é a mesma de muitas mulheres e explicou que gostaria de ter a mesma liberdade criativa que as colegas. A fala não pegou muito bem e a cantora foi criticada nas redes sociais, chegando a ser acusada de racismo.

Nos stories, no início da noite de hoje, Lana voltou a tocar no assunto. Na ocasião, ela compartilhou prints de um longo comentário que fez no Instagram. A cantora se defendeu novamente e disse que a escolha dos nomes citados se deu por um caráter de predileção, já que são as artistas que mais gosta.

“Cara, é triste transformar isso em um problema em se tratando de mulheres de cor quando na verdade eu estava falando das minhas cantoras favoritas. Eu poderia mencionar literalmente QUALQUER uma, mas escolhi a porra das minhas favoritas. Esse é o problema com a sociedade atualmente, nem tudo é sobre o que você quer que aquilo seja. É exatamente o ponto do meu post, há certas mulheres que a cultura não quer deixá-las ter sua voz e isso pode não ter a ver com raça. Não sei o que isso tem a ver. Eu não me importo mais, mas nunca, nunca, nunca, nunca me chame de racista porque isso é uma besteira. E minha última e final consideração sobre tudo: quando eu disse que pessoas que se parecem comigo eu quis me referir a pessoas que não se parecem fortes ou necessariamente espertas, ou que estão no controle, etc. É sobre lutar por uma personalidade mais delicada, não por uma mulher branca. Obrigada.”

Na carta, que pode ser lida na íntegra clicando aqui, Lana também afirmou que vai detalhar esses sentimentos nos livros de poesia que planeja lançar em breve. O novo álbum da cantora, que sucede o elogiado “Norman Fucking Rockwell!”, estreia no dia 5 de setembro.

Comentários

Topo