Menu Papel POP

Aldir Blanc, compositor e escritor, morre de COVID-19 aos 73 anos

MAIS SOBRE:

Aldir Blanc morreu na madrugada desta segunda-feira (04), aos 73 anos, de COVID-19. Ele estava internado desde meados de abril no Hospital Universitário Pedro Ernesto, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Após infecção urinária e sinais de pneumonia, ele deu entrada no CER do Leblon no dia 10 do último mês. Mesmo tendo apresentado sinais de melhora no começo, o compositor entrou num quadro de infecção generalizada e foi transferido (via IstoÉ e Folha).

O artista é autor de músicas como “O Bêbado e a Equilibrista”, que fez em parceria com João Bosco e foi cantada por Elis Regina. Outras composições famosas são: “O Mestre-Sala dos Mares”, “Bala com Bala” e “De Frente Pro Crime”.

Ao longo da carreira, ele também colaborou com Moacyr Luz, Maurício Tapajós, Edu Lobo, Carlos Lyra, César Costa Filho, Guinga e muitos outros.

Além de ter diversas músicas eternizadas na voz de grandes artistas, ele emplacou algumas canções em aberturas de novelas, como “Visconde de Sabugosa” para “O Sítio do Pica-Pau Amarelo” (1977), “Coração Agreste” para “Tieta” (1979) e “Chocolate Com Pimenta” de 2003.

Ele também foi cronista e publicou no O Estado de São Paulo, O Dia e O Globo. Lançou diversos livros, entre eles: “Porta de tinturaria” (1981) e “Rua dos Artistas e Arredores”  (1978).

Comentários

Topo