Menu Papel POP

Thelma revela quais amizades do BBB levará adiante e diz: “Os demais, fica o respeito”

Ih, gente! Após três meses de confinamento e de sair vitoriosa do Big Brother Brasil 20, a médica anestesiologista Thelma Assis falou sobre as amizades que fez dentro da casa. Em entrevista à Folha de S. Paulo, publicada nesta quarta-feira (29) a campeã do reality deixou bem claro os nomes que continuarão fazendo parte de sua vida.

“Tomaria uma cerveja com o Babu agora! Vou levar pra vida a relação com Manu, Rafa e Gabi também. Com os demais, fica só o respeito. Já tenho amigos o suficiente aqui fora”

Já na última terça-feira (28), durante uma participação no Rede BBB, Thelma revelou ter ficado chateada com as atitudes de Marcela após a chegada de Daniel e disse que se sentiu trocada pela colega.

“Falei que não tinha [ficado chateada] porque era aquele momento que a sua amiga tá apaixonada, ela tem o direito de ficar apaixonada. Quem sou eu pra julgar? Tanto que eu mantive meu pódio. Só que a vontade era falar: ‘Amiga, você levantou uma bandeira feminista o programa inteiro e aí me troca pelo primeiro boy que aparece?'”

Ela contou que “foi um susto” e só processou e enxergou o que aconteceu depois do ocorrido, se referindo à noite em que os participantes precisaram escolher com quem gostariam de ir para a final.

Veja o momento:

Pouco tempo depois, também na terça, a ginecologista publicou uma série de tweets comentando sobre a fala de Thelma e disse ter “muita consciência” de tudo o que aconteceu e aproveitou o momento para falar sobre as próprias questões feministas.

“Gente o que tiver que ser conversado, será em algum momento. Eu tenho muita consciência de tudo que aconteceu, erros e acertos e eu sei muito bem do meu coração e das coisas que eu acredito. Apenas acho importante falar uma coisa : feminismo é sobre libertar as mulheres do patriarcado. É uma luta coletiva, não individual. Eu vivo meu feminismo quando eu luto para que as mulheres tenham autonomia no parto, eu vivo meu feminismo quando luto pelo atendimento humanizado de pacientes vítimas de abuso sexual ,eu vivo meu feminismo quando eu incentivo”

Na ocasião, ela ainda explicou sobre ser feminista ter tomado atitudes que não lhe cabiam e falou sobre ter feito parte de um ambiente onde era necessário fazer escolhas e que, na verdade, Gizelly é quem sempre foi sua prioridade na casa.

“Eu sou feminista e me apaixonei em um jogo, com vínculos feitos há menos de um mês, em um contexto que EXIGIA escolhas, e eu escolhi quem eu mais estava conectada (e sempre deixei claro que a prioridade máxima era Gi)”

Que climão, né?

Comentários

Topo