Menu Papel POP

Selena Gomez comenta sobre imigração à Vogue: “As pessoas merecem ser ouvidas”

MAIS SOBRE:

Selena Gomez, que tem descendência mexicana, já advocou muito sobre as questões migratórias dos EUA e produziu um documentário sobre o assunto, o intitulado “Living Undocumented”, da Netflix.

Agora, nesta terça-feira (07), a artista foi capa da Vogue Arabia e revelou sua opinião sobre o então presidente Donald Trump, que tem como política reduzir o número de refugiados e imigrantes legais e também deportar essas pessoas, mesmo vindas crianças ao país.

“Eu havia dito que não me digo ser uma especialista e entendo que deve haver regras e regulamentos, mas precisamos fazer melhor do que estamos fazendo agora – simplesmente precisamos. Espero que ainda possamos oferecer o sonho americano. Espero que ainda possamos oferecer às pessoas uma vida melhor. É muito importante lembrar que nosso país foi formado por quem veio de outros países”.

Membros da família de Gomez emigraram para os EUA do México em 1975, atravessaram a fronteira enquanto se escondiam no porta-malas de um caminhão. Seu pais pais, apesar de mexicanos, são cidadãos americanos.

Sobre o seu documentário, ela disse:

“Decidi trabalhar no ‘Living Undocumented’ porque queria ser uma voz para pessoas que não podem ou que têm medo de falar sobre isso. Foi tudo muito pessoal para mim.

Meus avós são imigrantes e decidiram vir para os EUA. Com a decisão deles, finalmente recebi a vida que tenho, e ouvir todas essas histórias me fez sentir incrivelmente abençoada pela chance que tive.

As histórias de cada família [do doc] me emocionaram emocionalmente. Todos nós lemos as manchetes sobre imigração – mas são pessoas com histórias, não manchetes. Era hora de ouvir suas histórias complexas e como a vida dessas pessoas está sendo afetada pelas políticas de imigração. Sem consciência, não podemos ver mudanças, e minha maior esperança em tudo isso é que possamos ver mudanças.”

Ainda sobre sua experiência com o projeto documental, a cantora de “Lose You To Love Me” continuou:

“Uma coisa que eu vi é que a imigração vai além da política e dos debates políticos – é uma questão humana. A imigração é um tópico complexo e não será resolvido em um dia. Uma das maiores coisas que aprendi é que essas pessoas precisam e merecem ser ouvidas. Eles não são uma estatística – são pessoas com histórias reais – e eu garantiria que isso acontecesse.

2020 está sendo um ano importante pra Selena, uma vez que ela lançou seu novo disco em 4 anos e anunciou a versão Deluxe de “Rare”, que contará com três canções inéditas: “Boyfriend”, “She” e “Souvenir”, e que chega nesta quinta-feira (09). Recentemente, ela também se abriu sobre sua saúde mental com Miley Cyrus e revelou ter transtorno bipolar.

Comentários

Topo