Menu Papel POP

Oito motivos para você rever os filmes da saga “Harry Potter” no Telecine

MAIS SOBRE:

Há poucas franquias que significaram tanto para tantas pessoas como “Harry Potter“, tanto com os livros quanto com os filmes, foi uma saga que cresceu junto com uma geração e está enraizada na memória afetiva de milhares. Ao longo de uma década, o público viajava para um mundo completamente novo e mágico, mas ao mesmo tempo bem próximo à realidade.

Por isso, a jornada de Harry, Rony, e Hermione é perfeita para se ver mais vezes. Nesse especial, listamos oito motivos para fazer essa maratona! Bora reviver todos esses anos de novo? Uma dica: tem sete filmes da saga já disponíveis no Telecine para assistir! E outra diquinha maravilhosa: o serviço de streamings está dando os primeiros 30 dias grátis para novos assinantes. Ou seja, se joga!

Nostalgia de uma época mágica

Dá para acreditar que “Harry Potter e a Pedra Filosofal” completa 19 anos em 2020? Retomar a franquia é ser teleportado para um mundo mágico incrível dos anos 2000 nunca visto antes no cinema. O primeiro filme foi a apresentação de um universo gigantesco, Hogwarts, bruxos, expressos mágicos de trens, o Beco Diagonal, varinhas, doces engraçados e, claro, o trio de protagonistas que vimos crescer. Dirigido por Chris Columbus, “A Pedra Filosofal” tem um tom diferente dos demais filmes. Apesar de assustador em alguns momentos, é muito contagiante.

Boas pitadas de suspense e arrepios

Harry Potter” consegue ser bem assustador às vezes, ao mesmo tempo que é fantasioso, engraçada e pega um pouco de cada gênero. “A Câmara Secreta”, por exemplo. O que é aquele filme? Uma serpente que ninguém consegue ver está transformando alunos em pedra, há mensagens escritas com sangue na parede, todo mundo está com medo, uma aluna é raptada… Talvez seja o filme com o maior tom de filme de terror, mas ao longo da franquia ainda há muitas cenas que com certeza deixaram muitos potterheads sem dormir.

Harry, Rony e Hermione são uma meta de amizade!

Hollywood tem o clichê do trio perfeito de amigos em que um completa o outro, mas Harry, Rony e Hermione elevaram o nível. A química entre eles, unida à missão profetizada de Harry Potter, faz com que eles assumam missões muito maiores do que alguém da idade deles consegue enfrentar! Em “Prisioneiro de Azkaban” , Harry Potter enfrenta dementadores, talvez os seres mais assustadores da saga, para salvar seu padrinho Sirius Black da maior prisão de bruxos, Hermione ganha o vira-tempo e assume uma grande responsabilidade estudando muito mais voltando ao passado e se tornando uma peça muito importante para o livro e Rony topando qualquer situação absurda mesmo atrapalhado. Não é à toa que Grifinória está sempre perdendo pontos, porque os três juntos infringem qualquer regra para evitar o avanço do Voldemort! Hahaha.

Um universo mágico incrivelmente gigante

Sabe quando uma história tem tantos detalhes, lugares, personagens, comunidades, enormes detalhes que formam um mundo enorme? “Harry Potter” é tão rico em detalhes que dá vontade de viver tudo aquilo! Em “Cálice de Fogo“, percebemos o quão infinito é esse universo com várias escolas ao redor do planeta participando do Torneio Tribuxo. Cada escola tem seus costumes, magias, uniformes, e talvez esse seja o filme onde há mais acontecimentos surreais e mágicos surgindo um atrás do outro. É frenético e nos mostrou o quão longe a saga consegue chegar.

A saga não tem medo de ficar mais séria

Quando “Harry Potter e a Ordem da Fênix” saiu, muita gente se espantou com o tom sombrio e até deprimente que a história chegou. É um ritmo diferente, Harry Potter começa isolado e triste, há uma sensação de medo em toda a comunidade bruxa pelo retorno de Voldemort. As coisas ficaram sérias, o risco é real. E ainda há a chegada de Dolores Umbridge como diretora de Hogwarts com uma onda rígida dentro da escola. Apesar de mais sério, o filme continua empolgante por trazer grandes tramas dos personagens, muitas revelações sobre o passado de Harry e há também um senso de coletivo incrível entre os alunos, que partem para confrontar os comensais da morte sem medo algum.

Reviravoltas para chorar, torcer, se emocionar…

Não há como ser apático assistindo “Harry Potter“, minha gente!! A saga não se preocupa em poupar a gente de grandes emoções e entrega momentos de traição, segredos passados que trazem grandes revelações e mortes que fazem a gente pegar o lencinho e se acabar no choro. O “Enigma do Príncipe“, sexto filme da franquia, reúne todo esse furacão de emoções e é a maior prova deste motivo listado aqui! Muita gente provavelmente saiu da sala de cinema totalmente confusa na época do filme.

Eu vi essa galera crescer!

Harry Potter“, muito além de ser uma saga de sete livros, também é um momento que dura uma década no cinema. Com isso, é inevitável que a gente acompanhe o crescimento dos atores e dos personagens na tela. Vê-los assumindo novos níveis de maturidade reforça isso ainda mais e “Relíquias da Morte – Parte 1” é o auge disso. Nessa etapa, todo mundo tem algum relacionamento, vemos personagens casando, e a amizade de Harry, Rony e Hermione é colocada à prova. Conforme a saga chega em seu desfecho, aqui vemos como nunca que eles não são mais apenas adolescentes bruxos. Talvez seja o filme menos mágico de todos, porque dessa vez é sobre amadurecimento e responsabilidades.

O fim de uma jornada

Harry Potter” tem talvez um dos desfechos mais emocionantes do gênero de adaptações literárias. Muito por conta de como a saga chegou em sua conclusão em “Relíquias da Morte – Parte 2“, com perdas, vitórias, e um fim satisfatório, como também como fechamento de um ciclo para todos os fãs. O último filme conseguiu mostrar uma grande guerra e, no meio dela, concluir histórias de forma grandiosa para todos os personagens. Impossível não cair uma lágrima!

*Conteúdo oferecido por Telecine

Comentários

Topo