Menu Papel POP

Jason Momoa revela que vive personagem parecido com Han Solo em “Duna”

Em entrevista para a Ellen DeGeneres nesta quarta-feira (15), Jason Momoa revelou detalhes de seu papel na nova adaptação de “Duna”, filme inspirado no livro homônimo de Frank Herbert.

O ator vive Duncan Idaho, também conhecido como Mestre de Espadas da Casa Atreides, contou o que iremos ver nas telonas, revelando que seu personagem é o Han Solo do filme:

“Eu interpreto o personagem Duncan Idaho, que é um tipo de mestre espadachim que serve como o braço direito de Duke Leto, que é Oscar Isaac. Ele é a primeira pessoa a ser enviada para desembarcar em Duna e é quando eu conheço o personagem que Javier Bardem interpreta. (…) É um filme bem grande e eu interpreto um tipo de personagem parecido com Han Solo. Ele é um guerreiro desonesto que protege Chalamet (Paul Atreides) e serve Isaac.”

O eterno Khal Drogo de “Game of Thrones” disse que ficou nervoso ao gravar o longa devido ao seu elenco estelar. Ao citar seus colegas de set, ele disse que ficou incrédulo por ter uma cena com Javier Bardem.

“Nunca trabalhei com tanta gente talentosa, foi muito assustador. Eu não costumo ser contratado para ser o cara que fala demais e usa jargões de ficção-científica, mas dessa vez eu fui e [em uma cena] tinha o Javier, [Josh] Brolin, Oscar Isaac, Timothée e eu fiquei super nervoso. Tivemos que filmar em Wadi Rum. Nunca vi nada parecido, foi como filmar em outro planeta”

Momoa também elogiou o diretor Denis Villeneuve (“Blade Runner 2049”): “Foi uma honra fazer isso com ele, e é um elenco bastante estelar, nunca fiz parte de algo tão grande.”

Ainda temos Zendaya, Dave Bautista, Rebecca Ferguson e Stellan Skarsgard no elenco. O projeto estreia no dia 18 de dezembro de 2020 e sua sequência já foi confirmada.

A produção acompanha Paul Atreides, um jovem herdeiro de uma família aristocrática, que sai do seu planeta natal para o inóspito mundo de Arrakis. O desafio do protagonista vai ser liderar a mineração de um elemento precioso enquanto enfrenta dificuldades naturais e oposição.

Para o diretor, a nova adaptação faz bastante sentido porque a mensagem do livro nunca foi tão atual. “Ali, o planeta está sendo explorado à exaustão por seus recursos naturais. A Terra está mudando também, e a gente terá que se adaptar. É uma história de amadurecimento, mas também chama os jovens à ação por seu planeta”, comentou à Vanity Fair.

Comentários

Topo