Menu Papel POP

“Conseguia ver os efeitos e você não”, diz Jada Pinkett Smith sobre uso de maconha de Willow

Jada Pinkett Smith, sua mãe Adrienne Banfield-Jones e a filha Willow têm um programa chamado Red Table Talk, que vai ao ar no Facebook.

No último episódio, disponibilizado nesta quarta-feira (08), o trio discutiu os impactos do vício em drogas com a quarentena do coronavírus. A matriarca comemorou seu 29º ano sóbria, já que sofria com heroína. Jada aproveitou para comentar o uso excessivo de maconha da filha e parabeniza-la por ter parado.

“Como sua mãe, eu conseguia ver os efeitos e você não conseguia”, disse Jada. Adrienne acrescentou: “E para mim, com o histórico que temos na nossa família, [o uso de maconha de Willow] estava me deixando louca”. “Eu não fumo maconha há três meses”, conta a cantora de “Whip My Hair”, fizendo que ficava mais ansiosa ao fumar.

Willow então revelou que quando parou de usar cannabis, várias pessoas que ela considerava amigas se afastaram. “Eu sei que parece brega, mas quando eu parei de fumar, comecei a fazer muito Yoga. E eu apenas fui excelente, porque estava colocando toda minha energia nisso. Fiquei: ‘e se eu estivesse fazendo isso com tudo?'” refletiu.

Recentemente, a cantora lançou seu novo álbum intitulado “The Anxiety” ao lado de Tyler Cole. O disco, que perpassa pelas oito fases da ansiedade, como raiva, paranoia e tristeza, conta com uma pegada rockeirinha e pop-punk, se distinguindo do electro-pop e psicodélico “Willow”, disco de 2019.

Comentários

Topo