Menu Papel POP

Clau fala ao Papelpop sobre o novo clipe, “Primeira Vez”: “Mostra minha identidade”

Nesta sexta (17), Clau liberou seu mais novo single, “Primeira Vez”. Com um R&B envolvente, sensual e poderoso, ela aproveitou também para criar a história de um romance casual que pode ser vista no videoclipe da música.

No vídeo, a gente vê a cantora em um restaurante, de olho em um cara que está acompanhado. Eles começam a flertar e os olhares não param! Em flashs alternados, vemos os dois em um apartamento no maior clima de pegação, bem sensual. Mas, no fim, ela avisa: “Não quero nada sério!”.

Olha só:

Aproveitando o embalo do lançamento, batemos um papo com ela pra falar sobre essa nova fase. Por telefone, Clau comentou sobre o futuro álbum (que já está em fase de produção), artistas que mais gosta e o que anda fazendo na quarentena. Vem ler nosso papo!

Papelpop: O single se chama “Primeira Vez”, só pra quebrar, quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez? Você lembra?

Clau: A gente até colocou essa pergunta no teaser do lançamento e eu nem pensei na minha própria resposta. Bom, pela primeira vez eu comecei a criar um álbum. É uma coisa que eu sempre quis fazer e tô podendo realizar agora…Saber que vou lançar um álbum, preparar todo esse projeto.

Essa sua nova música tem uma pegada total R&B, é um ritmo que você consome bastante?

Muito. Acho que quem me acompanha desde o início sabe e vê o quanto eu gosto e trago isso na minha caminhada. Seja do Hip Hop, seja do R&B. É algo que eu sempre fui construindo ao longo da minha carreira. No começo com uma R&B mais romântico, mesmo que trazendo elementos de fora, mas sempre trazendo algo do ritmo. Gosto muito, é algo que cresci vendo e ouvindo. E acho que “Primeira Vez” mostra minha identidade também com isso, a intenção do meu trabalho.

E dentro do R&B, quais são suas referências?

Então, o que eu sempre gostei além, óbvio, de Beyoncé, Destiny’s Child, Alicia Keys, Christina Aguilera, que são divas, sempre acompanhei bastante de Ne-Yo, Usher…Essas músicas que são clássicas dos anos 2000, Ja Rule e Ashanti, Jennifer Lopez, Black Eyed Peas, Justin Timberlake. Essa junção mesmo que eu acho mais incrível no R&B. Hoje em dia eu também gosto bastante desse lado mais conceitual do ritmo também, Frank Ocean, por exemplo. Tem The Weeknd que traz um lado mais dark. Todos esses lados do R&B, eu gosto bastante e acho que as pessoas vão conseguir ver referências disso nos meus próximos trabalhos também.

Ali na letra da música, a gente vê que seu discurso é bem decidido, certeiro e empoderado mesmo. Você já trabalhou esse tema anteriormente, você acha importante reforçar esse pensamento do empoderamento feminino?

Eu adoro falar sobre isso! Eu amo quando minhas fãs me mandam mensagens falando que se sentem poderosas, corajosas, sensuais quando ouvem minhas músicas. E eu acho que essa música traz muito isso, né? Uma música forte, envolvente, sensual, que tem todo esse clima de sedução. A composição é do Rapha Lucas, que é um artista e compositor incrível. Quando eu recebi, era ele cantando, mas aí a gente pensou nela pela perspectiva de uma mulher, o quão poderoso seria isso. Empoderado, livre, nesse sentido de amarras e limites. Foi muito especial eu poder cantar essa música e trazer essa questão da força e sensualidade – que é uma coisa que meu público já gosta, como em “Pouca Pausa”, que é uma música que a galera gosta de escutar e se sentir sensual -, acho que ela traz isso.

O clipe foi roteirizado por você, né? Da onde surgiu a ideia pra produção? A cena debaixo do lençol é bem legal!

A ideia toda veio por conta da letra mesmo. Quando eu tava gravando a música, eu já pensava na letra como uma história. Acho que essa música precisava de algum contexto, de uma história contada. Então quando a gente definiu que [essa música] seria um single com clipe, eu falei: “Gente, não quero fazer um clipe só cantando na frente da câmera. Quero que a gente realmente crie uma história e envolva quem tá assistindo”. A partir daí eu comecei a pensar nas formas que a gente poderia fazer essa história. Fui criando algumas ideias na minha cabeça, colocando de alguma forma que tudo pudesse combinar com a música e esse universo todo que a gente tá criando.

E depois de “Primeira Vez”, a gente vai ver você indo cada vez mais pro lado R&B nesse álbum?

Quero falar pra galera que estou me dedicando muito nessa nova fase. Lógico que sempre me dediquei, mas agora tô querendo me expressar 100% artisticamente e mostrar quem eu sou, minha essência, através da minha música. “Primeira Vez” é o primeiro passo pra isso, um momento muito especial da minha vida. Tô produzindo um primeiro álbum com início, meio e fim, com conceito, músicas que conversam entre si. E espero que o pessoal acompanhe porque tá vindo muita coisa boa, muito R&B, produções e composições incríveis. Realmente tô entregando o melhor que eu posso. Espero que a galera goste!

E parcerias, tem alguém que você gostaria de fazer uma música?

Aqui do Brasil, queria muito cantar com a Marília Mendonça, acho ela incrível. Priscilla Alcantara é incrível também, uma das maiores cantoras do momento. Gloria Groove também! Acho que essas são três artistas que têm estilos totalmente diferentes mas são igualmente incríveis e têm elementos que admiro muito.

Pensando em coisas que estamos vivendo pela primeira vez, a nossa geração tem vivido uma crise pandêmica. Muitos artistas estão aproveitando para criar novos materiais neste período. Você também?

Então, tô em quarentena com meu namorado, Laudz, e a gente têm a sorte de trabalhar juntos. Ele tá produzindo todo meu álbum inteiro. A gente têm estúdio em casa, então a gente já tava em casa compondo antes desse momento de reclusão começar. Ficando mais em casa, estamos aproveitando para trabalhar no álbum e também explorando novas coisas. O álbum já está sendo finalizado e tô fazendo umas atividades aleatórias pra passar o tempo. Tipo, eu gosto de maratonar séries, eu leio, costuro, faço exercícios, além de querer criar mais conteúdo pra galera também, seja de moda, maquiagem ou de coisas mais amplas. Acho que [essas coisas] aproximam quem acompanha meu trabalho.

E você tem algum recado para seus fãs nesse momento de quarentena?

Sim. Fiquem mais tranquilos, tentem aflorar as questões artísticas, músicas, pra trazer sentimentos bons. Espero que a minha música possa fazer isso, mesmo que seja só alguns momentos do dia, de forma rápida, mas que as pessoas possam se sentir bem. Acompanhem as novidades, estarei compartilhando, fazendo lives, interagindo nas redes. Espero que a gente possa se aproximar mesmo que de longe. E logo a gente vai estar junto de novo em shows, conversando, se abraçando, tirando foto. Vai ser ótimo quando tudo isso passar!

Vem de stream:

Comentários

Topo