Menu Papel POP

Lauv lança seu primeiro disco e fala ao Papelpop sobre show no Lolla 2020: “Vai ser louco”

MAIS SOBRE:

“Eu sou uma pessoa meio boba”, é assim que Lauv, nascido como Ari Leff, se define. Ele continua: “Se alguém não gosta… que se dane. Que ela viva a vida dela e eu vou viver a minha”. Exatamente tal honestidade que faz o trabalho dele se destacar.

Além, é claro, da já característica estética das faixas, sempre suaves, tendo como base o violão ou o piano, que têm como companheiras diversas camadas de vozes em harmonia, geralmente num falsete bem gostoso de ouvir. Tudo isso, presente em seu primeiro álbum de estúdio, o vulnerável e cativante “How I’m Feeling”, lançado nesta sexta (06), que conta com 21 faixas.

Aos 25 anos, o artista já tem uma carreira com hits como “Like Me Better” e “Paris In The Rain”, além de já ter colaborado com BTS e escrito canções com Charli XCX e Céline Dion. E as colaborações seguem nesse novo trabalho: o disco conta com a participação de Anne-Marie, LANY, Troye Sivan, Alessia Cara, Sofía Reyes e o próprio grupo BTS.

Aliás, Lauv vem ao Brasil em abril para dois shows: o primeiro acontece no Lolla Parties, no dia 1º, enquanto o segundo, no lineup fixo do festival Lollapalooza, ocorre no dia 3. O Papelpop bateu um papo com o cantor por telefone sobre esse show, como foi conhecer o BTS, saúde mental e mais. Vem ler:

Papelpop: Quais são as expectativas sobre tocar no Lollapalooza Brasil 2020?

LAUV: Acho que vai ser absolutamente louco. Todo mundo já foi tocar aí e finalmente vai ser minha vez de ir. Vai ser incrível! Já ouvi que o Lollapalooza é o festival mais doido, especialmente no Brasil e na América Latina, é verdade?

Sim! A gente sempre canta até os instrumentais e os ad-libs.

Meu deus, estou muito animado!

Você vem de uma cena mais alternativa do pop e agora tem se tornado um dos nomes mais notáveis do mainstream. No ano passado, você foi bem aberto sobre situações de saúde mental pelas quais estava passando. Hoje, como você se protege emocional e mentalmente, em relação a estar se tornando maior e mais famoso do que antes?

Que pergunta boa! Tomei um bom tempo pra aprender a fazer isso. Pra mim, é sobre meditar e ter um tempo para as coisas que são importantes de verdade pra mim. Em vez de focar no que pode me transformar no maior artista do mundo, tento fazer música que vai me deixar o mais feliz possível. Me divertir e não prestar atenção. Isso ajuda muito!

Vi que você postou no Instagram um tutorial de meditação. Você sempre se questionou sobre sua relação com o mente, corpo e até autoimagem?

Quando era mais novo, tive muitas questões com autoimagem e meu corpo. Eu era mais gordo e acho que por muito tempo não fiz nada sobre isso, aí fiquei super obcecado em fazer academia. Acho que se tornou uma coisa sobre controle. Ir pra academia era uma coisa na qual eu tinha controle, na minha vida. Então por uns cinco ou seis anos, se tornou uma grande obsessão pra mim. E hoje não é sobre não ser saudável, mas não faço mais isso só sobre meu corpo até me deixar doido, sabe?

Não sei se estou compartilhando demais, mas tenho adorado ouvir as músicas do seu disco na academia!

Ah isso é ótimo! Estou feliz que você esteja malhando. É bom.

Falando de novo no Instagram, você tem um perfil paralelo, além do seu oficial, o @notlauv, né?

É, nem tenho prestado tanta atenção nesse perfil! Nem sei por quê.

Você devia postar mais lá! Inclusive, há algum tempo, era comum artistas acharem que era importante se manterem mais misteriosos nas redes sociais. Como é compartilhar coisas tão divertidas de si mesmo?

Gosto de não me levar tão a sério, pra me divertir. O “How I’m Feeling” é inclusive sobre acolher todas as partes de si. Eu criei esse outro perfil só pra me divertir.

Mas você já teve algum medo de compartilhar esse lado menos sério e as pessoas não te respeitarem como um artista?

Eu não sei… acho que as pessoas gostam de quando a gente é autêntico. Eu sou uma pessoa meio boba, então se alguém não gosta… que se dane. Que ela viva a vida dela e eu vou viver a minha.

Agora, gostaria de saber sobre como foi conhecer os meninos do BTS pela primeira vez. Conta pra gente?

Foi incrível. Eu estava muito nervoso. Eles foram muito fofos comigo. Eu já sabia que eles tinham playlists com músicas minhas e até feito covers de algumas. A gente se conheceu em Londres, logo quando eles me pediram pra fazer o remix da música “Make It Right”. E depois disso já mandei pra eles a faixa “WHO”, que entrou pro álbum, e eles ficaram tipo “a gente amou”. Foi tudo bem fácil!

Na divulgação do disco, você tem se chamado de uma “boyband de um cara só”. Qual as maiores diferenças entre sua boyband e o BTS?

Eles dançam melhor que eu. Se vestem mais legal do que eu. Eles cantam uns versos incríveis… Hahaha

E quais coisas vocês mais têm em comum?

A gente se diverte mundo! Obviamente minha boyband só existe na minha cabeça, então tem uma teoria por detrás: ao mesmo tempo que representa as diferentes partes da minha personalidade também é uma piada, algo engraçado.

Ano passado, a gente conversou pela primeira vez e você comentou que trabalhava como estagiário no Jungle City Studios, em Nova York. Hoje, estando no lugar em que está com sua carreira, tem algo que gostaria de ter sabido àquela época?

Foi uma experiência legal, porque quando eu estava na faculdade e fazendo estágio, acho que eu ainda não estava pronto pra ser um artista, sabe? Então foi bom saber como é produzir, escrever, estar numa editora de canções, pra depois entender que o que eu realmente queria ser era artista. Mas sou feliz que as coisas aconteceram desse jeito. Foi divertido. Acho que, se eu já soubesse disso, eu não teria tido aquela experiência. 

 

Vem ouvir o profundo  “How I’m Feeling”, disco de estreia do Lauv, com a gente!

Shows de Lauv no Brasil são cancelados :(

[Atualizado em 13 de março, às 19h40] A organização do festival Lollapalooza emitiu uma nota em que anunciou o adiamento da próxima edição do evento, que contaria com a presença do artista. O show no Lolla Parties, a ser realizado no dia 1º de abril, também foi cancelado. A decisão vem em respeito às medidas de segurança adotadas pelas autoridades por conta do aumento de casos do novo coronavírus. Não há novas datas definidas por enquanto e o reembolso poderá ser feito nos pontos de venda oficiais.

Comentários

Topo