Menu Papel POP

Natalie Portman responde crítica de Rose McGowan: “Tentei e continuarei tentando”

Natalie Portman fez um protesto sutil no último Oscar, que aconteceu no domingo (9), ao vestir uma capa com nomes bordados das diretoras que foram esnobadas pela premiação. Mas não foi todo mundo que curtiu essa ação, como, por exemplo, a atriz Rose McGowan.

Em uma carta aberta publicada na última terça-feira (11) em sua página no Facebook, a artista acusou a protagonista de “Cisne Negro” de ser uma fraude.

“Corajoso? Não. Está mais para uma atriz fingindo que se importa como muitas fazem. Acho o tipo de ativismo de Portman profundamente ofensivo para aqueles que realmente fazem o trabalho. Natalie, você trabalhou com duas diretoras em sua longa carreira e uma delas era você. Você tem uma produtora que contratou exatamente uma diretora – que foi você. O que há com as artistas da sua classe? Vocês que são ‘da primeira classe’ poderiam mudar o mundo se vocês se posicionassem em vez de serem o problema. Vocês são o problema. O apoio falso a outras mulheres também é um problema (…) Até que você e suas colegas atrizes se tornem reais, faça um favor a todos nós e pendure sua capa ativista. Ela não veste bem”.

Já nesta quarta-feira (12), Natalie Portman respondeu à carta aberta da colega de profissão, e comentou que concorda com Rose que ela não foi “corajosa” ao fazer isso (via Variety):

“Concordo com McGowan que é impreciso me chamar de ‘corajosa’ por usar uma peça de roupa com o nome de mulheres. Corajoso é um termo que eu associo mais fortemente a ações como as das mulheres que testemunharam contra Harvey Weinstein nas últimas semanas, sob incrível pressão.”

Continuou dizendo sobre a falta de oportunidade que mulheres tiveram na indústria cinematográfica:

“Nos últimos anos, surgiram oportunidades de direção para as mulheres, devido aos esforços coletivos de muitas pessoas que estão denunciando o sistema. O presente tem sido esses filmes incríveis. Espero que o que foi concebido como um simples aceno para essas diretoras, não distraia de suas grandes realizações. É verdade que só fiz alguns filmes com mulheres. Em minha longa carreira, só tive a chance de trabalhar com diretoras algumas vezes – fiz curtas, comerciais, videoclipes e participações com Marya Cohen, Mira Nair, Rebecca Zlotowski, Anna Rose Holmer, Sofia Coppola, Shirin Neshat e eu mesma [na direção]. Infelizmente, os filmes não feitos que tentei fazer são uma história de fantasmas.”

O Oscar deste ano foi duramente criticado por não destacar mais filmes de diretoras mulheres, uma vez que se teve obras aclamadas como “The Farewell”, de Lulu Wang, “Adoráveis Mulheres”, de Greta Gerwig e “Retrato de Uma Jovem em Chamas”, de Céline Sciamma. Nenhuma diretora foi nomeada na categoria de Melhor Direção.

Portman citou um estudo que mostra que cineastas mulheres têm mais dificuldade de terem seus projetos financiados.

“Como Stacy Smith da USC bem documentou, os filmes femininos têm sido incrivelmente difíceis de serem feitos nos estúdios ou de serem financiados de forma independente. Se esses filmes são feitos, as mulheres enfrentam enormes desafios durante a realização deles. Eu tive a experiência algumas vezes de ajudar as mulheres a serem contratadas em projetos dos quais elas foram forçadas a sair por causa das condições que enfrentavam no trabalho.

 

Depois de feitos, os filmes dirigidos por mulheres enfrentam dificuldades para entrar em festivais, obter distribuição e receber elogios por causa dos gatekeepers de todos os níveis. Então, eu quero dizer, eu tentei e continuarei tentando. Embora ainda não tenha tido sucesso, espero que estejamos entrando em um novo dia. ”

Leia a crítica inteira de Rose aqui:

Comentários

Topo