Menu Papel POP

Painel da Pixar na CCXP mostra como “Dois Irmãos” será mágico e muito emocionante

A Disney foi bem ambiciosa neste ano na CCXP2019 e resolveu fechar um dia inteiro no palco principal dos painéis para promover seus lançamentos. Tudo começou às 11h da manhã com exibição de “Frozen 2” e, depois, foi a vez de conhecermos o próximo lançamento da Pixar. O painel de “Dois Irmãos” teve presença de Dan Scanlon, que já havia trabalho com o estúdio em “Carros e “Universidade Monstros”.

No filme, dois irmãos ganham a oportunidade de trazerem o pai de volta por um dia por meio de um cajado, mas só conseguem trazer metade do corpo dele. Então, eles tês 24 horas para trazer o resto do corpo e para isso embarcam numa aventura.

“Foram seis anos de estudo para esse filme”, diz Scanlon logo no início. Ele então mostrou todo o processo de desenvolvimento da história. A trama, inclusive, promete emocionar qualquer um e por um grande motivo.

O diretor conta que o filme foi inspirado na infância dele. Ele nunca chegou a conhecer o pai. “Tínhamos fotografias e ouvi histórias da minha mãe. […] nunca nem chegamos a ver ou ouvir meu pai”. Então, num dia, a mãe dele mostrou a ele uma fita cassete em que o pai apenas dizia “Oi. Tchau”. “Foi incrível ouvir a voz dele, e desde então eu sempre imaginei como seria meu pai e como seria a voz dele. Então, disso veio a ideia do filme”, conta.

O elenco de vozes é muito bem pensado

O elenco de vozes é cheio de talentos. Tom Holland interpreta o irmãos mais novo, Ian, Chris Pratt vive Barley e ainda temos Julia Louis-Dreyfus e Octavia Spencer no elenco. “Ian é tímido e esquisitão, e para isso não há nada melhor que o Tom Holland […] O Chris Pratt realmente é o tipo de cara que você gostaria que fosse seu irmão mais velho”, diz Scanlon sobre a escolha do elenco.

Cenas foram mostradas e aumentaram nossas expectativas [SEM SPOILER]

Vimos uma cena na íntegra, em que os dois irmãos descobrem o cajado que pode chamar o pai de volta, até o momento que o pai surge de fato, pela metade. Dá para dizer que só essa cena já é capaz de marejar os olhos, porque sentimos a esperança de ter o pai de volta. E pensa com a gente, quando ele volta, não consegue ver nem ouvir nada. A maneira que ele percebe os dois filhos é bem emocionante.

Mas o filme também promete bastante aventura. Vimos uma cena de perseguição de carros contra uma gangue de fadas, cheia de momentos tensos e com sequências bem dinâmicas! Numa última cena vista, acompanhamos os dois irmãos num momento muito tenso em que o poder mágico de um deles foi posto à prova e conseguimos ver que a dinâmica e o apoio emocional dos dois é muito bem desenvolvido.

“Dois Irmãos” estreia no dia 5 de março.

Comentários

Topo